Empresa de tecnologia da China quer abrir fábrica de smartphones no Brasil

Flavia Marinho
por
-
18-01-2021 10:39:53
em Indústria e Construção Civil
china - realme - smartphone

Inicialmente a realme quer implantar os produtos das quatro fábricas asiáticas da marca (China, Índia, Bangladesh e Indonésia) e se consolidar no e-commerce.

Após o sucesso de Xiaomi e Huawei no Brasil, outra marca chinesa que já é sensação mundo afora chega ao Brasil. A empresa de tecnologia realme, da China, anunciou interesse em abrir fábrica de smartphone no Brasil. A companhia entrou no mercado brasileiro no início deste mês em parceria com a B2W, são os smartphones.

Leia também

A chinesa ingressou no mercado de tecnologia brasileiro apresentando os smartphones realme 7 e 7 Pro, o relógio realme Watch S e os fones realme Buds Q. Porém ainda este ano a empresa deve lançar no Brasil 12 smartphones e outros 20 produtos AIoT (de inteligência artificial das coisas).

A companhia não revelou os itens, mas o portifólio da chinesa inclui os segmentos de áudio, wearables (itens tecnológios para vestir) e casa. Na China a realme vende desde televisões 4K até mochilas, passando por escova de dente elétrica e câmera de segurança inteligente.

Smartphone que carrega em 34 minutos

Entre os principais produtos da marca chinesa estão o realme 7 Pro, smartphone que traz um novo conceito de carregamento. Além de um excelente preço, o realme 7 oferece qualidade em suas câmeras e velocidade de carregamento do aparelho — seu sistema de carregamento promete encher a bateria do telefone em 34 minutos e suas câmeras são otimizadas para permitir boas fotos noturnas.

Investimentos – realme quer implantar fábrica no Brasil em até cinco anos

Apesar de reconhecer os grandes competidores que irá enfrentar, como a Samsung, Motorola, Apple, Asus, a realme se mostra otimista e quer firmar bases mais sólidas no Brasil.

Inicialmente a companhia quer implantar os produtos das quatro fábricas asiáticas da marca (China, Índia, Bangladesh e Indonésia) e se consolidar no e-commerce.

E a médio prazo, implantar a sua fábrica no país”Queremos, em até cinco anos, construir uma fábrica no Brasil e avançar na América Latina.” diz Sherry Dong, diretora de marketing da marca.

Sobre a realme

realme iniciou pela Índia, onde já tem o terceiro maior mercado; avançou pelo sudeste do continente, conquistando a liderança no mercado filipino; e também já abocanhou 13% do mercado chinês.

Começou, então, um movimento de expansão para o Ocidente, chegando à Europa, pela Espanha e Polônia, no ano passado. Agora, em 2021, a companhia mira o Brasil e os Estados Unidos para continuar ganhando terreno em relação às concorrentes.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.