Desinvestimento bilionário: Petrobras finaliza venda da Liquigás por 4 bilhões de reais

Flavia Marinho
por
-
24-12-2020 07:27:33
em Petróleo, Óleo e Gás
Petrobras - gás

A venda da Liquigás está alinhada à estratégia da Petrobras, para concentrar seus recursos em ativos de classe mundial em águas profundas e ultra-profundas.

Petrobras informou ontem (23/12) em fato relevante, que finalizou a venda da totalidade da sua participação na Liquigás para a Copagaz e a Nacional Gás Butano por R$4 bilhões. A finalização da transação ocorreu logo após a Itaúsa emitir debêntures bilionário para comprar a líder no mercado nacional de distribuição de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP)

Leia também

A Copagaz será a nova controladora da Liquigás, em conjunto com a Itaúsa — empresa de investimentos de acionistas do Itaú Unibanco. A Nacional Gás adquirirá fatia minoritária e, após reorganização societária, será detentora do equivalente a 18% do volume de GLP vendido.

De acordo com o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, a finalização da venda da participação na Liquigás representa um marco na estratégia da Petrobras de desinvestir para reduzir a dívida e focar em ativos de classe mundial. “Estamos focando naquilo que sabemos fazer melhor e que traz mais valor para os nossos acionistas. A maximização do retorno sobre o capital empregado é um dos pilares do nosso Plano Estratégico para o para o quinquênio 2021-2025. A Copagaz e a Nacional Gás Butano têm grande expertise em comercialização e distribuição de gás liquefeito de petróleo (GLP) e darão continuidade ao fornecimento com qualidade e segurança aos consumidores brasileiros”, disse Castello Branco.

Para Celso Rocha, diretor superintendente da Nacional Gás, a compra possibilitará um incremento na disponibilidade de GLP aos consumidores. “A aquisição também representa um marco importante na história da Nacional Gás e no setor de GLP. Com isto, nossa empresa poderá aumentar seus negócios e consolidar sua atuação na região Sul e Sudeste do país.”

Relembrando o caso

A primeira tentativa da Petrobras em vender a Liquigás,ocorreu no fim de 2016 para a Ultrapar por R$ 2,8 bilhões, mas o negócio foi vetado pelo CADE depois que o órgão declarou “complexa” a negociação com o grupo Ultra. Ainda na gestão de Pedro Parente na Petrobras.

Já as negociações entre a Petrobras e o grupo Copagaz, Itaúsa e Nacional Gás Butano vem ocorrendo desde agosto de 2019, quando o consórcio foi selecionado para apresentar sua melhor proposta. A disputa ainda contou com um fundo de investimento internacional Mubadala e o consórcio Consigaz/GP Investimentos.

Sobre a Liquigás

Subsidiária integral da Petrobras, a Liquigás está presente em quase todos os estados brasileiros, e conta com 23 centros operativos, 19 depósitos, uma base de armazenagem e carregamento rodoferroviário e uma rede de aproximadamente 4.800 revendedores autorizados, tendo cerca de 21,4% de participação de mercado.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.