Cientistas estão desenvolvendo bateria de borracha capaz de aumentar a autonomia dos carros elétricos

Valdemar Medeiros
por
-
21-01-2022 12:17:08
em Automotivo, Veículos Elétricos
baterias - baterias de borracha - autonomia - carros elétricos Bateria de borracha pode aumentar a autonomia dos carros elétricos (Imagem: Obi Onyeador/Unsplash)

A bateria, comumente encontrada, pode ser a resposta para o aumento da autonomia dos atuais carros elétricos existentes no mercado automotivo    

Cientistas do Instituto de Tecnologia da Geórgia (Georgia Tech), localizado nos Estados Unidos, através de estudos descobriram que a borracha poderá vir a ser uma ótima e viável alternativa para substituir as baterias de carros elétricos, que são feitas de lítio. Os cientistas notaram que esse material, que é tão comum e fácil de ser encontrado, quando modificado para uma estrutura em 3D, desperta a função de fornecer os íons de forma super rápida, como se fosse uma superestrada, e ainda por cima é capaz de dobrar a autonomia em veículos elétricos.  

Leia também

Entenda melhor sobre o projeto de bateria de borracha

Estrutura da bateria feita com polímeros de borracha (Imagem: Reprodução/Georgia Tech)

Os cientistas que estão elaborando o projeto da bateria de borracha conseguiram fabricar algumas células de energia dotadas de uma grande resistência mecânica de alto nível, o que resultou em uma bateria com capacidade de armazenamento de energia e força muito maior, podendo facilmente substituir as baterias utilizadas atualmente em carros elétricos, visando o aumento da autonomia do veículo.

De acordo com o professor de Engenharia Mecânica, Seung Woo Lee, os íons se movimentam através de um eletrólito líquido, nas baterias de lítio convencionais instaladas em carros elétricos.

Mas o professor Lee explicou que até mesmo um dano menor pode fazer com que esse eletrólito venha a vazar, podendo causar um incêndio ou até mesmo uma grande explosão. Seung Woo Lee ressalta que, justamente por essa falta de segurança, as indústrias fabricantes de veículos são forçadas a cogitar o uso das baterias de estado sólido, que podem ser fabricadas com material cerâmico inorgânico ou polímeros orgânicos.

Utilização da borracha na fabricação de baterias

As baterias que são fabricadas com material cerâmico ou polímeros convencionais não são capazes de conduzir íons, além de terem uma estabilidade mecânica insuficiente para operar de forma confiável e eficiente. Os cientistas do Georgia Tech usaram os eletrólitos de borracha para resolverem esses problemas de condução lenta ou zero de íons.

O professor Lee relatou que o eletrólito de borracha pode ser feito durante um processo de polimerização bem simples, estando em condições de temperatura baixa, fazendo com que sejam geradas interfaces robustas e suaves logo na superfície dos eletrodos. Woo Lee acrescentou que essa técnica é feita para evitar o crescimento de dendritos de lítio, facilitando a movimentação dos íons e permitindo a operação confiável e totalmente eficiente de baterias de estado sólido, mesmo estando em temperatura ambiente.

Se tratando da autonomia, os cientistas puderam demonstrar que, ao incrementar a condutividade iônica, é possível movimentar muito mais íons ao mesmo tempo. A bateria com a energia e a densidade em um alto nível poderão aumentar consideravelmente a quilometragem média dos carros elétricos.

Próximos planos do professor Seung Woo Lee

Agora, o professor e sua equipe de cientistas pretendem melhorar cada vez mais o desempenho dessas baterias de borracha, para que possam aumentar a quantidade de ciclos e reduzir o tempo de carregamento do veículo.

A equipe obteve um avanço significativo até agora, onde ficou concluído que sua performance foi duas vezes maior, quando comparada com as células convencionais de íons de lítio. Finalizando sua fala, o professor Lee falou que as baterias em estado sólido poderão aumentar bastante o nível de autonomia e a segurança dos carros elétricos.  

Sites Parceiros

Publicidade




Tags:
Valdemar Medeiros
Especialista em marketing de conteúdo, ações de SEO e E-mail marketing. E nas horas vagas Universitário de Publicidade e Propaganda.