Bahia é líder nacional em produção de energia eólica

Bahia assume liderança

Dados são da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e apontam liderança da Bahia na geração de energia eólica do país

Os bons ventos continuam soprando em favor da produção de energia eólica no país. Segundo dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), o estado da Bahia assumiu a liderança na produção de energia eólica no país. Chineses vão investir R$ 4 bilhões na energia eólica do Nordeste, sendo a metade no Rio Grande do Norte.
Se levarmos em conta o primeiro semestre do ano, a produção média no estado ficou em 1.611 MW, ou seja, um aumento de 59% no comparativo com o mesmo período de 2018, quando a geração foi de 1.013 MW médios.

Atras da Bahia ficou o Rio Grande do Norte, com 1.124 MW médios e o terceiro, bem abaixo com menos da metade, ficou o estado do Piauí, com 544 MW médios.

No ranking de capacidade instalada, a liderança também pertence a Bahia, com 3.980 MW, em segundo lugar vem o estado do Rio Grande do Norte, com 3.936 MW.
Em terceiro aparece o Ceará com 2.349 MW e em seguida o Rio Grande do Sul com 1.778 MW e o Piauí com 1.638 MW.

Em relação ao crescimento da geração da energia eólica, o estado do Maranhão mereceu destaque no relatório do CCEE, pois também apresentou um crescimento na sua produção, alcançando elevação de 29,8%.

Outros estados que mereceram destaque no crescimento foram os estados do Piauí que registrou 5,2% e o Rio Grande do Norte com 1,3%.

O estado de Santa Catarina, apesar de ocupar o nono lugar no ranking dos produtores, apareceu em posição de destaque no relatório com um crescimento de 67,9% em relação ao primeiro semestre do ano passado.

A energia eólica não cresceu somente na Bahia, no Brasil também cresceu 15,5% no primeiro semestre de 2019 em relação ao mesmo período em 2018, graças a 595 usinas eólicas em operação no país ao final de junho de 2019, totalizando 15.058 MW de capacidade instalada.
O aumento foi de 14,2% em comparação aos 13.181 MW de capacidade em junho de 2018, quando existiam 518 unidades geradoras no país.

Leia também ! Ibama penaliza Petrobras 43 vezes em apenas uma semana, por poluir o mar !

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Click Petróleo e Gás.

Renato Oliveira

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki)