2 mil vagas de emprego em Pernambuco para a construção e operação da nova usina termelétrica de energia (UTE) à base de Gás Natural Liquefeito (GNL)

Flavia Marinho
por
-
14-01-2021 13:48:42
em Refinaria e Termoelétrica
emprego - pernambuco - usina - termelétrica - gás

Investimento bilionário em Pernambuco pelo grupo norte-americano New Fortress Energy demandará 2 mil vagas de emprego para a construção e operação da Usina Termelétrica à base de gás natural liquefeito

De acordo com as informações divulgadas ontem (13) pelo governo de Pernambuco, o grupo norte-americano New Fortress Energy vai investir R$ 3 bilhões para construir uma Usina Termelétrica de Energia (ETE) à base de gás natural liquefeito (GNL) e 2 mil vagas de emprego serão geradas na região. Procurando emprego? Currículo e carteira de trabalho em mãos para concorrer as vagas de emprego abertas ontem (12/01) e trabalhar no centro Industrial Manserv

Leia também

A usina será instalada na área do Complexo Industrial de Suape. O projeto inclui também um terminal de regaseificação de GNL, além da implantação de cerca de 8 quilômetros de dutovias entre o terminal de gás e a térmica.

Com previsão de entrar em operação em novembro de 2021, a usina termelétrica terá a capacidade total instalada para gerar 1,3 gigawatts (GW) de energia, o que corresponde a 30% a mais que a hidrelétrica de Sobradinho.

A licença prévia do empreendimento foi emitida pela Agência de Meio Ambiente de Pernambuco (CPRH).

O grupo norte-americano New Fortress Energy comprou a empresa catarinense CH4 Energia que planejava instalar uma térmica em Suape antes de 2018. É esse projeto que já tinha a licença prévia e um protocolo de intenção com o governo de Pernambuco com a área que iria receber o empreendimento definida.

Outros projetos de energia e gás do grupo New Fortress Energy no Brasil

A grupo New Fortress Energy também “comprou” dois projetos que eram da Petrobras e que previam a instalação de duas térmicas: uma em Pecém, no Ceará, e outra em Salvador, na Bahia.

Esses dois projetos são importantes porque ambos ganharam leilões – realizados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) – para vender energia. São os compromissos firmados nesses leilões que vão garantir a compra da energia a ser produzida pela futura usina termelétrica, remunerando o investimento a ser realizado.

Os leilões de energia vencidos pelos projetos que eram da Petrobras tinha a previsão de que o fornecimento de energia elétrica ocorreria no primeiro semestre deste ano. A usina que vai se instalar em Suape será abastecida por navio regaseificador de GNL, com capacidade de injetar 21 milhões de metros cúbicos por dia e deve ficar atracado no Cais de Múltiplos Usos.

Segundo o Governo do Estado, o excedente de GNL poderá atender à rede da Companhia de Gás de Pernambuco (Copergás), empresa detentora dos direitos de distribuição de gás no Estado. “Com a instalação da termelétrica em Suape, o Governo de Pernambuco também viabiliza um grande terminal de regaseificação para o Estado, oferecendo gás com preços muito mais competitivos às indústrias locais”, enfatizou o governador Paulo Câmara (PSB) via assessoria. “E com a nova lei do gás, que já se encontra na Alepe, um contingente muito maior de empresas poderia migrar para o mercado livre e se beneficiar do novo terminal, gerando um impulso de expansões e novos empreendimentos no Estado”, acrescentou. Mercado livre é aquele no qual o grande consumidor pode escolher a empresa que vai fornecer o gás. A disponibilidade limitada de gás no Estado sempre foi uma barreira para o uso maior desse combustível no setor produtivo. Geralmente, o gás sai mais barato do que a energia elétrica.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.