Volkswagen se sente pressionada pela Tesla na corrida dos carros elétricos e pode demitir 30 mil funcionários

Valdemar Medeiros
por
-
14-10-2021 10:35:48
em Indústria e Construção Civil
Volkswagen - carros elétricos - Tesla - demissão Volkswagen suspende produção no Brasil por causa do agravamento da pandemia – créditos: Motor1

Após pressão da Tesla, multinacional Volkswagen pode demitir até 30 mil funcionários em consequência da modernização de suas unidades para acelerar mobilidade elétrica

De acordo com uma reportagem publicada pelo jornal alemão Handelsblatt, o CEO da Volkswagen, Herbert Diess, quer que sua fábrica principal seja convertida para produzir apenas carros elétricos, e sugere o corte de até 30.000 empregos, para os quais os membros do conselho fiscal, pegos de surpresa, protestaram vigorosamente. A pressão da Montadora Tesla seria uma das principais preocupações da VW.  

Leia também

“Não há dúvida de que temos que lidar com a competitividade de nossa fábrica em Wolfsburg em vista de novos participantes no mercado. O debate está em andamento e já existem muitas boas ideias. Não há nada concreto sobre demissões.”, disse o presidente de comunicação da VW, Michael Manske, quando questionado sobre o assunto.

Volkswagen pretende investir em baterias e estações de carregamento

A Volkswagen também está considerando investir em negócios de energia e carregamento de automóveis, além dos planos de IPO existentes para sua divisão de baterias. Schmall disse que nada foi decidido ainda e que provavelmente levará até dois anos para que as novas empresas estejam estabelecidas e realmente prontas para o mercado de ações.

“Também temos que pensar em termos de sistemas gerais e nos apressar com a criação da nossa própria rede de recarga, sistemas solares para postos de recarga verde e redução das emissões de carbono”, disse Schmall, referindo-se a pressão da montadora de Elon Musk, Tesla.

Em uma reunião do conselho fiscal da Volkswagen, na sede da empresa em Wolfsburg (Alemanha), o CEO da empresa, Herbert Diess, declarou que a montadora poderia perder 30 mil empregos caso fizesse uma transição muito lenta para os veículos elétricos, segundo notícia relatada pela agência Reuters. A Tesla produz seu carro, Modelo 3, em 10 horas, enquanto a Volkswagen leva 30 horas para fazer um ID.3.  

Michael Manske, CEO de comunicação da Volkswagen, emitiu um comunicado hoje, dizendo: “Não há dúvida de que temos que abordar a competitividade de nossa fábrica em Wolfsburg em vista de novos participantes no mercado”,  destacando a Tesla e as montadoras chinesas, como a NIO, que lançou carros elétricos na Noruega recentemente.  

Tesla estabelece novos padrões dentro da indústria automotiva  

Manske acrescentou: “A Tesla está estabelecendo novos padrões de produtividade e escala em Grunheide.” Ele se referiu à primeira Gigafactory europeia de Tesla, que está sendo construída perto de Berlim. Quando operacional, a instalação deverá ter capacidade máxima de produzir entre 5.000 a 10.000 carros todas as semanas, o que por si só é mais do que o dobro de toda a produção de carros elétricos no país no ano passado.  

Negando o relatório de corte de empregos publicado no Handelsblatt hoje, Manske disse: “Um debate está em andamento e já existem muitas boas ideias. Não há cenários concretos.” O conselho dos trabalhadores da Volkswagen também negou tais relatórios, chamando-o de “absurdo e sem base”.  

A fábrica da Volkswagen em Wolfsburg é a maior do mundo. Atualmente, possui mais de 50.000 funcionários para fabricar veículos ICE. A Volkswagen tem como objetivo fabricar o sedã elétrico Projeto Trinity a partir desta instalação a partir de 2026, para o qual deve ser submetido a modificações.  

Tags:
Valdemar Medeiros
Especialista em marketing de conteúdo, ações de SEO e E-mail marketing. E nas horas vagas Universitário de Publicidade e Propaganda.
fwefwefwefwefwe