Transdata – engenharia e movimentação adquire guindaste gigante – Grove GRT9165 da classe 150 toneladas de fabricante dos EUA para reforçar atividades offshore brasileiras

Valdemar Medeiros
por
-
03-11-2020 11:45:16
em Indústria e Construção Civil
Transdata - engenharia - EUA - Guindaste gigante

A Manitowoc, fabricante de guindastes sediada em Wisconsin, nos EUA, vendeu um Grove GRT9165 da classe 150 toneladas para a empresa brasileira Transdata Engenharia e Movimentação (TEM).

A Transdata Engenharia e Movimentação é especializada em operações complexas de manuseio e içamento para alguns dos maiores segmentos industriais do Brasil, incluindo refinarias, parques eólicos, usinas hidrelétricas, siderúrgicas e operações de mineração.

Leia também

Transdata Engenharia e Movimentação adquire guindaste gigante dos EUA para reforçar atividades offshore

O Grove GRT9165 é uma unidade dos terrenos acidentados de maior capacidade da Manitowoc dos EUA e é o primeiro do tipo a ir para o Brasil, onde será usado para operações de abastecimento e manutenção de plataformas de petróleo offshore no estado do Rio de Janeiro.

Foi entregue diretamente para uma base de apoio offshore em Niterói pela fabricante dos EUA em fevereiro de 2020, onde permanecerá por dois anos. Será usado exclusivamente por um cliente da Transdata Engenharia especializado em fornecimento e suporte de manutenção para plataformas offshore e outras infraestruturas de petróleo e gás.

“O guindaste da fabricante dos EUA realiza uma ampla gama de atividades no local”, afirma Fabio Gaeta, diretor executivo da Transdata. “Apoia PSVs (embarcações de apoio à plataforma de engenharia), o que significa içar máquinas e peças utilizadas na exploração e produção da indústria offshore de óleo e gás. São tarefas muito exigentes, que devem ser realizadas 24 horas por dia. Além da capacidade, mobilidade e agilidade também foram fatores chaves e, apesar de seu tamanho, o GRT9165 pode manobrar em pequenas áreas.”

Produção anual de Petróleo batendo recordes

Segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), em 2019 o Brasil superou pela primeira vez 1 bilhão de barris em produção anual da indústria offshore de petróleo – um aumento de 7,78% em relação ao ano anterior. Em 2020, o país deve produzir ainda mais, apesar da interrupção causada pela pandemia Covid-19.

“Sentimos que o setor de óleo e gás está voltando com força no Brasil”, acrescenta Gaeta. “Muitas das operações que foram paralisadas nos últimos anos estão sendo retomadas. Se não fosse pela pandemia, acredito que estaríamos em uma posição ainda melhor. ”

Tags:
Valdemar Medeiros
Formado em Segurança do trabalho, especialista em marketing de conteúdo em conjunto de ações de SEO e Universitário de Publicidade e Propaganda.