Início Spectrum e Toyota fecham acordo para implantação de energia solar e placas fotovoltaicas em fábricas: apenas uma instalação chegará a 1 megawatt (MW). Empresa também estuda hidrogênio verde

Spectrum e Toyota fecham acordo para implantação de energia solar e placas fotovoltaicas em fábricas: apenas uma instalação chegará a 1 megawatt (MW). Empresa também estuda hidrogênio verde

24 de junho de 2022 às 07:59
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Spectrum e Toyota fecham acordo para implantação de energia solar e placas fotovoltaicas em fábricas: apenas uma instalação chega a 460 quilowatts. Empresa também estuda hidrogênio verde - Canva
Empresa também estuda hidrogênio verde – Canva

Essa não é a primeira atitude sustentável da Toyota em relação à produção energética. A instituição também vem investindo em pesquisas para utilizar o hidrogênio verde na fábrica dos seus carros e motores. Empresas como a Airbus também estão sendo pioneiras no setor ao desenvolver motores de aviões que deixem de fazer o uso de biodiesel para utilizar o hidrogênio, o lançamento está previsto para chegar ao mercado até o ano de 2023. 

A Spectrum, em parceria com a Toyota, está com um projeto de energização de toda a instalação de uma fábrica em Laguna, na Austrália, para a produção de energia solar por intermédio de placas fotovoltaicas. A capacidade da instalação chega a 460 quilowatts (kWp) e ajudará a diminuir as emissões de dióxido de carbono no meio ambiente pela instituição. 

Apesar de a atual capacidade produtiva ser menor, a empresa Spectrum,  responsável pela implantação de energia solar, afirma que a instalação terá capacidade de chegar ao menos 1 megawatt (MW). A instituição é uma subsidiária da Manila, que instituiu a sua grande fonte de energia no mês de dezembro de 2018. A empresa solar afirma que a redução de custos será milionária a cada ano, fazendo com que este dinheiro possa ser utilizado pela empresa automobilística em processo de expansão de mercado. 

Artigos recomendados

Redução de dióxido de carbono chegará a 446 toneladas: Com os novos investimentos em energia solar e placas fotovoltaicas, é estimado que a instituição deixe de eliminar, sobre o meio ambiente, mais de 446 toneladas de dióxido de carbono. O que é respectivo a mais de 45 mil  árvores plantas ou então, a mais de 1,7 milhões de viagens  deixadas de serem feitas por carro no ano! 

De acordo com a Toyota, o intuito da instituição é expandir os investimentos em energia solar para outros países além da Austrália, mas ainda precisam de investidores e pesquisa de mercado. 

O presidente da TMP, Atsuhiro Okamoto, afirmou, em entrevista, que estava orgulhoso e que acredita que, se a empresa continuar neste ritmo, é estimado que, até o ano de 2035, chegarão a uma zero emissão de carbono sobre o meio ambiente, deixando o espaço de trabalho anda mais verde e sustentável. O uso de hidrogênio verde também facilitará para que a instituição consiga bater as suas metas. O projeto solar da Toyota, de acordo com ele, teria operado mais de  4.753.561,58 kWh  desde que houve a sua instalação. 

Okamotto afirmou que está consistente sobre as metas do  Toyota Environmental Challenge (TEC) 2050, que deseja continuar “movimentando o mundo” para conseguir os melhores resultados por intermédio dos investimentos em energia solar.  De acordo com ele, estão com parcerias com a Toyota desde 2018 e acreditam que o acordo é promissor para ambas as partes. Atualmente, conseguem aumentar a produtividade energética da multinacional em mais de 16% por ano! 

A empresa Spectrum oferece inúmeros serviços de modo a ajudar os seus clientes com a transição ao mundo verde. E, enquanto isso, a Toyota entrará para este mercado, relativamente novo, a fim de ter  baixo custo a longo prazo em simultâneo em que pratica uma redução significativa de dióxido de carbono a cada ano. 

Energia solar é um investimento no Brasil, mas taxação do sol começa em breve 

Em 2022, empresas de todo o Brasil correm para a instalação de placas fotovoltaicas de modo a fugir da taxação do sol, sendo um projeto que prevê o começo das taxações sobre todo o que for produzido  pelos painéis a partir de 2023 por intermédio do ICMS. 

Relacionados
Mais recentes