Início Secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários afirma que investimento em obras de infraestrutura no Porto de Itajaí após privatização é a única saída do complexo

Secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários afirma que investimento em obras de infraestrutura no Porto de Itajaí após privatização é a única saída do complexo

21 de maio de 2022 às 04:36
Compartilhe
Siga-nos no Google News
O secretário de portos, Diogo Pinoli, alertou para a situação atual do Porto de Itajaí e destacou que o processo de privatização é a única saída para o complexo, uma vez que o plano de investimento em obras de infraestrutura garantirá novas projeções para o local
Foto: Divulgação/Porto de Itajaí

O secretário de portos, Diogo Pinoli, alertou para a situação atual do Porto de Itajaí e destacou que o processo de privatização é a única saída para o complexo, uma vez que o plano de investimento em obras de infraestrutura garantirá novas projeções para o local

O Secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários, Diogo Piloni e Silva, comentou na terça-feira, (17/05), sobre o processo de privatização do Porto de Itajaí, em Santa Catarina. Dessa forma, o executivo afirmou que a concessão do complexo é a melhor alternativa atualmente para salvar o porto, embora as autoridades da região não concordem, já que será aplicado um forte plano de investimento em obras de infraestrutura.

Investimento que será realizado em obras de infraestrutura no Porto de Itajaí após privatização do complexo salvará o local e trará novos rumos futuros

Embora o governo Municipal e a Superintendência do Porto de Itajaí estejam acumulando seus esforços para manter a Autoridade Portuária Municipal no complexo, a privatização do porto é atualmente a única saída, segundo Diogo Pinoli. O Governo Federal vem investindo fortemente nos processos de concessão dos portos nacionais à iniciativa privada e o Porto de Itajaí precisa que isso aconteça para que possa se reerguer no estado de Santa Catarina. 

Artigos recomendados

Assim, o secretário de portos destaca que essa privatização é uma questão de sobrevivência para a estrutura, e que isso deve aumentar a competitividade e garantir a sobrevivência do porto de Itajaí. Isso acontece pois será aplicado um plano de investimento para a realização de obras de infraestrutura no porto, garantindo assim uma projeção mais favorável para novos empreendimentos no local. Diogo também destacou que toda a conversa em torno da concessão já foi realizada e que as licitações devem iniciar já durante o ano de 2023. 

Trabalhe no Setor Eólico do Brasil

O processo de privatização do Porto de Itajaí irá permitir a realização de um investimento ainda mais pesado dentro das obras de infraestrutura que são necessárias para que o complexo consiga se reerguer e isso não seria possível somente com a autoridade pública. Por fim, o secretário ressaltou que o Governo Federal não encontrou outra saída para o local, embora tenham estudado as possibilidades de novos projetos para a reestruturação do Porto de Itajaí, e que a privatização ainda é a melhor alternativa atualmente. 

Privatização do complexo portuário ainda gera muitas discussões, embora obras de infraestrutura sejam necessárias para a reestruturação do local 

O Governo Municipal continua com sua posição contrária à privatização do Porto de Itajaí, mesmo com as discussões atuais sobre a necessidade de obras de infraestrutura no local. Assim, o senador Dário Berger (PSC-SC) alegou que o “governo demonstra ter pouca sensibilidade social. Certamente, eles não têm a consciência real do que o Porto de Itajaí representa para a cidade e para Santa Catarina, sendo que o modelo proposto, é uma cópia do modelo considerado fracassado na privatização dos portos australianos, comprovados por estudos”.

No entanto, Diogo Pinoli rebateu a fala destacando que o modelo atual de concessão é o principal diferencial do porto, uma vez que o mundo inteiro está olhando para Itajaí por conta do modelo arrojado que está sendo proposto. Isso pois, no modelo atual, os investimentos seriam definidos em contrato e feitos com regulação do poder concedente, neste caso, o governo Federal, garantindo assim uma flexibilidade maior para a empresa ganhadora realizar os contratos de forma mais benéfica. 

Por fim, o secretário relembra que o investimento previsto para as obras de infraestrutura gira em torno de um total de R$ 2,8 bilhões e alerta para a quebra do Porto de Itajaí caso o processo de privatização não seja realizado durante o próximo ano.

Relacionados
Mais recentes