Rio quer isenção tributária do gás para usinas termelétricas

Rio quer isenção de ICMS

O objetivo do governo estadual é atrair novos empreendimentos para o Rio de Janeiro, oferecendo mais vantagens para investidores.

Nesta terça-feira, 24 de setembro,  o secretário de Desenvolvimento Econômico do Rio, Lucas Tristão, informou que o governo do Rio de Janeiro pretende isentar de ICMS a compra de gás natural para projetos de geração de energia elétrica que desejam se instalar no estado. Falando em termoelétrica, a Elfe Engenharia recebe currículos para obra em Termelétrica Mário Lago – Macaé.

A iniciativa deverá ser apresentada por meio de decreto que já está sendo elaborado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado do Rio, segundo informou ontem o titular da pata, Lucas Tristão.

O objetivo do governo estadual com a alíquota de ICMS zerada, é atrair novos empreendimentos para o Rio de Janeiro, oferecendo mais vantagens para investidores interessados em construir usinas termelétricas.

A isenção tributária do gás para usinas termelétricas já é adotada em outros estados, como São Paulo e Bahia, e ainda não havia sido incorporada ao regime tributário do Rio de Janeiro por conta do programa de recuperação fiscal do estado.

Hoje, o ICMS do gás comprado para termelétricas gera créditos tributários, mas elas não têm como repassá-los a seus produtos porque a energia que produzem é consumida em outros estados.

Segundo o secretário, o governo planeja publicar o decreto em breve, de olho nas empresas que irão participar do próximo leilão de energia, marcado para o dia 18 de outubro.

Segundo Tristão, há térmicas inscritas para participar do leilão, e que podem se beneficiar da nova medida, assim que publicada. Ele afirma que as empresas já atuantes no estado também serão contempladas dentro do novo decreto.

Além de novos investimentos, a expectativa do governo do Rio é que a medida gere uma redução do custo da energia para o consumidor. “Hoje quem mais tributa energia no país é o Rio de Janeiro. A redução do preço da energia vai partir da redução do preço dos insumos”, destaca Tristão.

O governo vai pedir compensações, em termos de investimentos, pela renúncia fiscal, mas de acordo como secretário ainda não há definição de como isso seria feito.

As usina térmicas, como a operada com gás natural em Uruguaiana (foto), entregam 25,86% da energia usada no país. Segundo a expectativa da Aneel, as termelétricas podem gerar 37,18% da energia produzida pelas novas usinas Reuters

“Não tínhamos feito ainda porque estamos no regime de recuperação fiscal”, afirmou o secretário. Ele disse que há um entendimento no governo estadual que a isenção não fere o plano de recuperação acordado com o governo federal.

No Ceará, Klabin compra fábrica da Heineken para expandir seus negócios

Flavia Marinho

About Flavia Marinho

Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e experiente na indústria de construção naval. OBS: Não contratamos, então não envie currículos! Informações sobre empregabilidade apenas no site.