Rio de Janeiro receberá a maior arrecadação de royalties do petróleo da história em 2019

petróleo royalties rio de janeiro
 

Um aumento de receita com royalties e participações, indica mais investimento e mais empregos não só na área petrolífera, mas também em outras áreas

Para 2019 a expectativa de receita do Estado do Rio de Janeiro com relação aos royalties e participações especiais do petróleo é a maior da história do estado. Segundo o projeto de lei Orçamentaria Anual para o ano que vem, que será analisado pela Alerj (Assembleia Legislativa), a arrecadação prevista pelo governo é de R$14,13 bilhões. O prognostico aponta uma receita de 62% a mais na comparação com o ano de 2014, o melhor em arrecadação para o produto, quando R$8,70 bilhões entraram em caixa, isso de acordo com o Rio previdência.

Mas segundo Thiago Valejo, coordenador de conteúdo estratégico da gerencia de Petróleo, Gás e Naval da Firjan, a maior diferença é que no passado, o barril tinha um valor bem mais alto e a produção bem menor. Essa lógica mudou com o passar do tempo, atualmente a projeção é de um valor do barril recorde de produção.

Outros especialistas projetam um valor ainda maior, ao analisar a indicação passada pelo governo do Rio, a Firjan reconheceu se tratar de uma projeção cautelosa.

Mas segundo o especialista de petróleo e gás naval Fernando Montera o estado pode dobrar o que entrou no Tesouro no ano de 2014. Com o modelo de projeção utilizando a premissa do Banco Central e o lançamento do valor do barril em 73 dólares para o ano que vem (2019), chegado a uma arrecadação de R$16 bilhões. Sendo isso uma realidade até por que para o próximo ano haverá muitas operações novas.

“Há razões para que o futuro seja melhor que o presente, pois o cenário é positivo e a maioria dos analistas e agentes da economia do petróleo, tem um sólido entendimento de que vamos manter os patamares de preços do ponto em que eles estão. ” – disse Ivan Tauil, sócio do Tauil & Chequer Advogados e especialista no setor.

Apesar do progresso, a avaliação orçamentaria não inspira severidade. Mas o ano de 2018 deve encerrar o preço do barril de petróleo em um patamar superior a U$$80.

A previsão orçamentária não demonstra uma política de redução do déficit, o aumento de R$5 bilhões em despesas sobre o previsto no Plano de Recuperação Fiscal. Mesmo que esse acréscimo de receita ocorra, ele tinha que ser revertido, para a diminuição do déficit sem redirecionar o crescimento de despesas ou para outros poderes, de acordo com André Luiz Marques (especialista na área de gestão e políticas públicas do Insper).

Podemos acreditar que os royalties e participações especiais de 2019, vão alavancar os investimentos, produções e empregos no estado do Rio de Janeiro.

Recursos Humanos da Air Swift contrata Offshore em Macaé hoje

The following two tabs change content below.
Sheila Soares

Sheila Soares

Formada em Técnico de Logística, com experiência em operações logísticas, técnica de materiais e com amplo conhecimento no mercado petrolífero, industrial e engenharia.