Refinaria Abreu e Lima da Petrobras inicia parada de manutenção por 45 dias, em Pernambuco

Roberta Souza
por
-
15-07-2021 17:31:01
em Refinaria e Termoelétrica
Refinaria – Petrobras – parada de manutenção Refinaria Abreu e Lima/ Fonte: SindTRR

A Petrobras divulgou que a refinaria iniciou sua primeira parada programada para manutenção, desde que a unidade começou a operar em 2014

De acordo com um comunicado divulgado hoje (15/07), a Petrobras divulgou que Refinaria Abreu e Lima (RNEST) inicia sua primeira parada programada para manutenção, desde que a unidade começou a operar em 2014. Segundo a estatal, aproximadamente 3 mil pessoas atuarão nas diversas unidades e áreas da refinaria. Veja ainda: Para adequar e modernizar a Refinaria de Paulínia, Petrobras abre processo de licitação de equipamentos

Detalhes sobre a parada de manutenção na refinaria da Petrobras

A Petrobras diz que a parada de manutenção está prevista para o atendimento de normas regulamentadoras, essencial para a segurança operacional da refinaria, e envolverá a manutenção de praticamente todos os equipamentos da refinaria, tais como compressores, motores, vasos, permutadores de calor, válvulas, reatores e outros, que totalizam cerca de 3 mil equipamentos em todas unidades do trem 1 da RNEST.

A duração prevista é de cerca de 45 dias, onde o planejamento foi iniciado há dois anos, segundo a Petrobras. Para executar a parada de manutenção, foram contratadas várias empresas, que estimam empregar aproximadamente 3 mil pessoas, que atuarão nas diversas unidades e áreas da refinaria, divididas em turnos e seguindo todos os protocolos de segurança e de prevenção à covid-19.

Trabalho durante a pandemia da Covid-19

Segundo o comunicado divulgado pela Petrobras, a empresa tem foco na segurança das operações com indicadores de desempenho de SMS no primeiro quartil da indústria. A parada para manutenção na refinaria têm o objetivo manter a segurança e confiabilidade operacional da refinaria, reestabelecer as capacidades operacionais, além de promover melhorias nas suas instalações.

A Petrobras ainda divulgou que promove a busca pela excelência em saúde e segurança e, por isso, as paradas de manutenção na refinaria são realizadas com atendimento aos protocolos do ministério da saúde e os diversos protocolos internos de Petrobras, dentre eles a utilização de máscaras de proteção, adequação dos ambientes e meios de transporte para facilitar o distanciamento social, reforço das ações de limpeza e higienização de ambientes e equipamentos, fornecimento abundante de álcool em gel para limpeza das mãos e medição de temperatura diariamente em todos os trabalhadores antes da entrada na refinaria, assim como ações de conscientização.

Além disso, são realizados testes rápidos em 100% dos candidatos apresentados pelas contratadas antes de ingressarem na refinaria que são repetidos a cada 14 dias em todo contingente, promovendo o afastamento quando necessário, diz a Petrobras.

Confira também: Petrobras paralisa produção da Refinaria de Paulínia (Replan), por falta de escoamento em uma unidade

Segundo publicado pela Sindipetro (Sindicato dos Petroleiros do estado de São Paulo), desde o dia 5 de julho, a Refinaria de Paulínia (Replan) da Petrobras, paralisou a produção de uma unidade de Craqueamento Catalítico, a U-220, por falta de escoamento do gás liquefeito de petróleo (GLP). O sindicato ainda ressalta que em cinco dias, a Replan já deixou de produzir aproximadamente 11.000 de metros cúbicos de GLP e 75 milhões de litros de gasolina.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos