Por US$ 105 milhões, Petrobras realiza venda do Campo de Papa-Terra, na Bacia de Campos, para a 3R Petroleum

Petrobras – Bacia de Campos Plataforma de petróleo/ Fonte: epbr

O campo de Papa-Terra da Petrobras, na Bacia de Campos, teve sua produção média de óleo e gás até junho de 17,9 mil boe/dia

Ontem (12/07), a Petrobras divulgou que realizou a venda de sua total participação do campo de Papa-Terra, localizado na Bacia de Campos. A 3R Petroleum realizou a compra por US$ 105 milhões. Confira ainda: Petrobras realiza venda de sua participação de campo onshore à Petrom, na Bacia de Sergipe – Alagoas

Sobre a venda do Campo de Papa-Terra, da Petrobras

Segundo divulgado pela Petrobras, o valor da venda foi de US$ 105,6 milhões, sendo que US$ 6 milhões pagos na presente data; US$ 9,6 milhões no fechamento da transação e US$ 90  milhões em pagamentos contingentes previstos em contrato, relacionados a níveis de produção do ativo, localizado na Bacia de Campos e dos preços futuros do petróleo.

Tais valores não consideram os ajustes devidos e o fechamento da transação está sujeito ao cumprimento de condições precedentes, tais como a aprovação pela ANP – Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis.

Venda de ativos alinhado a estratégia da estatal

Fernando Borges, diretor de Exploração & Produção da Petrobras, diz que a venda do ativo na Bacia de Campos, faz parte da nossa gestão de portfólio, prática comum na indústria. Fernando ressalta que ao realocar estrategicamente os investimentos, eles abrem oportunidades para a diversificação na indústria de óleo e gás com novos investidores e trazendo resultados positivos para as empresas, para a indústria e sobretudo para a sociedade.

Ricardo Savini, CEO da 3R Petroleum, ressalta que o surgimento e o fortalecimento de outros players fomentam o desenvolvimento da indústria de óleo e gás, além do estímulo nas economias regional e nacional por meio de diversos canais: impostos, investimentos, geração de emprego e renda, bem como o aquecimento e consolidação da cadeia de suprimento.

No comunicado divulgado ao mercado, a Petrobras ainda informa que todas essas operações estão alinhadas à estratégia de otimização de portfólio, redução do endividamento e à melhoria de alocação do capital da empresa, passando a concentrar cada vez mais os seus recursos em ativos de classe mundial em águas profundas e ultra-profundas, onde a Petrobras tem demonstrado grande diferencial competitivo ao longo dos anos.

Leia também: Petrobras inicia processo de venda de campo onshore na Bacia de Potiguar, no Rio Grande do Norte

No último dia 9, a Petrobras divulgou que iniciou o processo para vender sua participação em campo de petróleo onshore, na Bacia de Potiguar, no estado do Rio Grande do Norte. A estatal detém 70% do bloco exploratório terrestre POT-T-794, pertencente à concessão BT-POT-55ª, sendo que os demais 30% de participação pertencem a Sonangol Hidrocarbonetos Brasil.

A concessão do campo onshore, na Bacia de Potiguar, foi adquirida no ano de 2006, durante a 7ª Rodada de Licitações de Blocos realizada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A Petrobras detém 70% de participação do campo onshore, no estado do Rio Grande do Norte e a Sonangol, operadora da concessão, detém os demais 30% de participação. O consórcio entre a Petrobras e a Sonangol, perfurou dois poços no campo onshore, sendo um descobridor de gás.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos