PetroRio compra FPSO OSX-3 da petroleira OGX e 80% do campo de petróleo Tubarão Martelo na Bacia de Campos

Flavia Marinho
por
-
03-02-2020 20:09:34
em Petróleo, Óleo e Gás
PetroRio compra FPSO OSX-3 da petroleira OGX e 80% do campo de petróleo Tubarão Martelo na Bacia de Campos PetroRio compra FPSO OSX-3 da petroleira OGX e 80% do campo de petróleo Tubarão Martelo na Bacia de Campos

A interligação entre os campos de petróleo Polvo e Campo de Tubarão Martelo na Bacia de Campos, vai gerar redução de custos, aumento de produção, reservas e vida econômica dos dois campos.

A PetroRio, maior companhia independente de óleo e gás do país, anuncia hoje, 03, a compra da embarcação OSX-3, por US$ 140 milhões (cerca de R$ 600 milhões), conjuntamente com a aquisição de 80% no Campo de Tubarão Martelo – onde a unidade de Produção Armazenamento e Transferência de Óleo e Gás (FPSO)encontra-se afretada. A gigante do petróleo Modec abre processo seletivo offshore nesta manhã de segunda

Leia também

As duas transações irão permitir a integração entre os campos de petróleo de Polvo, já operado pela PetroRio, e Tubarão Martelo, ambos na Bacia de Campos (RJ).

Trata-se da primeira iniciativa de uma empresa independente no país para a otimização de campos de petróleo maduros, com a criação de um polo na região – todos os poços produtores de  petróleo dos dois campos serão interligados ao novo FPSO adquirido (OSX-3).

“Estudamos muito essa aquisição e nos preparamos para colocar em prática uma estratégia pioneira de revitalização de campos em produção no Brasil. Os dois negócios irão gerar sinergias significativas, redução de custos, extensão da vida econômica dos dois campos e menores emissões diante da operação integrada. Seguimos ainda nossas premissas básicas de segurança e responsabilidade com o meio ambiente”, ressalta Nelson Queiroz Tanure, CEO da PetroRio.

Os custos operacionais somados de Polvo e Tubarão Martelo, atualmente em mais de US$ 200 milhões ao ano, devem cair em cerca de US$ 70 milhões por ano, depois de implementadas sinergias com logística e operação, além da devolução do FPSO atualmente arrendado para o processamento e armazenamento do óleo do campo de Polvo.

Com isso, a PetroRio estima que os custos de produção do novo polo poderão alcançar cerca de US$ 15 por barril, resultando em um aumento previsto da vida econômica dos ativos até aproximadamente 2035 e com impacto positivo na produção e acréscimo de reservas de 40 milhões de barris, totalizando 52 milhões de barris de petróleo.

Tubarão Martelo produz atualmente cerca de 5.800 barris/dia, mas esse volume poderá chegar a até 10 mil barris/dia, após a conclusão da campanha de revitalização do campo em curso. O novo polo poderá atingir produção estimada de 20 mil barri/dia a partir de 2021.

Integração de Polvo e Tubarão Martelo

A aquisição dos 80% do campo de Tubarão Martelo terá como compartida a assunção de 100% dos custos de operação do campo de petróleo, com direito a comercializar inicialmente 80% do óleo produzido.

Após a interligação dos campos de petróleo Tubarão Martelo e Polvo, prevista para meados de 2021, a PetroRio ficará com 95% de participação no novo polo produtor integrado; e a Dommo (atual operadora), com os 5% restantes. O investimento na integração dos dois ativos, distantes apenas 9 km, está previsto para ser entre US$ 50 milhões e US$ 60 milhões.

A PetroRio contou com a contribuição da Prisma Capital, como assessora financeira durante todo o processo, o que inclui o financiamento de US$ 100 milhões para o projeto.

As operações dependem de aprovação dos órgãos reguladores – Cade e ANP.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.
fwefwefwefwefwe