Início Petrobras divulga teaser da UFN III após fracassar com o grupo russo Acron a venda da fábrica de fertilizantes, que pode ajudar o Brasil a reduzir dependência do produto importado, enquanto o país lida com dificuldades advindas da guerra entre Ucrânia e Rússia

Petrobras divulga teaser da UFN III após fracassar com o grupo russo Acron a venda da fábrica de fertilizantes, que pode ajudar o Brasil a reduzir dependência do produto importado, enquanto o país lida com dificuldades advindas da guerra entre Ucrânia e Rússia

1 de junho de 2022 às 15:51
Compartilhe
Siga-nos no Google News
fertilizantes - ureia 0 amônia - fábrica - preço
Unidade de Fertilizantes Nitrogenados III (UFN-III) – Petrobras – Imagem Bnamericas

Operação da UFN3, que teve capacidade projetada pela Petrobras em 3.600 toneladas/dia de ureia e 2.200 toneladas/dia de amônia, está com as obras paradas desde 2014.

Petrobras divulgou em fato relevante ao Mercado na tarde deste dia 1 de junho, que em continuidade ao comunicado divulgado em 28/04/2022, iniciou a etapa de divulgação da oportunidade (teaser), referente à venda integral da Unidade de Fertilizantes Nitrogenados III (UFN-III).

A UFN3 teve a obra de construção paralisada em dezembro de 2014, com cerca de 80% das obras finalizadas, após a Petrobras romper o contrato com o consórcio responsável pela construção da fábrica que, na época, já havia consumido mais e R$ 3 bilhões.

Artigos recomendados

Segundo a Petrobras, o teaser, que contém as principais informações sobre a oportunidade – inclusive a previsão de que o comprador se comprometa com a conclusão da planta – bem como os critérios de elegibilidade para a seleção de potenciais participantes, está disponível no site da Petrobras

“As principais etapas subsequentes do projeto serão informadas oportunamente ao mercado”, informou a estatal.

Petrobras fracassa na venda da fábrica de fertilizantes (com obras paradas desde 2014) para o grupo russo Acron e multinacional Unigel entra na disputa da licitação da UFN3

Petrobras divulgou em fato relevante ao Mercado no dia 28 de abril, que não foi concluído o processo de venda da Unidade de Fertilizantes Nitrogenados III (UFN-III), no município de Três Lagoas, com o grupo russo Acron, “tendo em vista que o plano de negócios proposto pelo potencial comprador, em substituição ao projeto original, impossibilitou determinadas aprovações governamentais que eram necessárias para a continuidade da transação”.

A UFN-III é uma unidade industrial de fertilizantes nitrogenados localizada em Três Lagoas, no estado de Mato Grosso do Sul. A construção da UFN-III teve início em setembro de 2011, mas foi interrompida em dezembro de 2014, com avanço físico de cerca de 81%. Após concluída, a unidade terá capacidade projetada de produção de ureia e amônia de 3.600 t/dia e 2.200 t/dia, respectivamente.

Uma das maiores petroquímicas da América Latina que comprar UFN3

Fábrica de fertilizantes da Petrobras já está na mira de novas empresas. Visando expandir sua atuação no setor, a Unigel, uma das maiores petroquímicas na produção de fertilizantes nitrogenados da América Latina, está interessada na compra do projeto idealizado para produzir ureia e amônia, visando expandir sua atuação no setor. A informação foi confirmada pelo CEO a Reuters.

A operação da unidade, que teve capacidade projetada pela Petrobras em 3.600 toneladas/dia de ureia e 2.200 toneladas/dia de amônia, poderia ajudar o Brasil a reduzir sua dependência do produto importado, enquanto o país lida com dificuldades advindas da guerra entre Ucrânia e Rússia.

“A empresa já investe em fertilizantes no Brasil, e tem interesse de concluir a UFN-III e ocupar 50% do mercado de fertilizantes”, ressaltou uma das fontes da Reuters. 

A Unigel conta com mais de 2,9 milhões de toneladas de capacidade instalada, sendo 925 mil toneladas de amônia, 1,125 milhão de toneladas de ureia e 670 mil toneladas de sulfato de amônio, segundo informações da empresa.

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
YouTube YouTube
Instagram Instagram
Telegram Telegram
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes