Petrobras Distribuidora será uma nova empresa a partir de 2021

petrobras

O presidente da BR Distribuidora, Rafael Grisolia, disse que a subsidiária da Petrobras será uma nova empresa a partir de 2021.

A declaração ocorreu na última quinta-feira, 01 de agosto, durante uma teleconferência aos investidores. Segundo Grisolia, a BR Distribuidora deverá adotar medidas para se equiparar à concorrência. Um dos primeiros passos para a mudança da companhia foi a privatização, finalizada em 24 de julho.

“Os anos de 2019 e de 2020 são anos de execução, quando vamos trabalhar cada vez mais para a entrega dessas dez iniciativas de forma conjunta. A partir de 2021, conseguiremos ver o resultado desse esforço, que faremos tão intensamente e com tanto entusiasmo, agora, com a BR privatizada”, afirmou o presidente.

Após a privatização na última semana, a compra de equipamentos deixou de seguir a Lei das Estatais. Assim, Grisolia afirmou que a aquisição agora ocorre “tentando seguir as melhores práticas de mercado”. O conselho administrativo da distribuidora também sofrerá alterações.

Ao longo das próximas semanas, as novos indicados serão analisados pelos acionistas. Conforme informado pelo presidente, a empresa deve buscar a redução de custos e a maior participação de mercado. Além disso, há uma expectativa de melhora na logística perceptível já nos próximos trimestres.

O presidente da antiga estatal falou ainda sobre a possibilidade de novas negociações comerciais. “A gente espera que, com a abertura do refino, outras oportunidades apareçam. Que oportunidades a gente vai ter em futuras negociações com eventuais novos donos de alguma refinaria?”, disse Grisolia.

A venda de ativos de pouca relevância também foi mencionada durante a teleconferência. Segundo o diretor financeiro da empresa, André Natal, após a privatização a BR Distribuidora passou a ter mais liberdade para vender ativos.

Privatização da BR Distribuidora A BR Distribuidora teve 30% de suas ações vendidas pela Petrobras. O valor da venda foi de cerca de R$ 8,6 bilhões. Após a operação, a subsidiária passou a não ser mais uma estatal.

Um item presente no acordo pode fazer com que a venda das ações da BR Distribuidora ainda suba para 35% do capital da empresa. Assim, o montante pode atingir R$ 9,6 bilhões. Estes valores podem ajudar a Petrobras a diminuir suas dívidas. Com a venda das ações, a Petrobras irá deter agora 41,25% do capital da subsidiária.

A BR Distribuidora possui 7.700 postos de combustível e atua em 99 aeroportos. Com a operação anunciada na última terça (23), a Petrobras deixa de ter controle sobre a distribuidora.

Flavia Marinho

About Flavia Marinho

Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e experiente na indústria de construção naval. OBS: Não contratamos, então não envie currículos! Informações sobre empregabilidade apenas no site.