Terceira fase do Pré-sal autorizada, serão necessários mais 11 FPSO

Pré-sal demandará 11 FPSO

Ibama concede licença prévia e nova fase do Pré-sal na bacia de Santos demandará 11 novas FPSOs em um total de 23 empreendimentos

Na última quarta-feira (03/04), o Ibama concedeu licença prévia 601/2019 para a terceira fase de desenvolvimento de produção no Pré-sal da Bacia de Santos, para a Petrobras.
O formulário listando as atividades foi enviada ao Ibama em novembro de 2014 e os dados para elaboração do impacto ambiental no local foi fornecido em julho de 2015.

A estimativa é que esse novo ciclo de investimentos na região necessite de 11 FPSOs para sistemas de produção definitivos, dois pilotos de produção e outros 10 testes de loga duração (TLD) ou sistemas antecipados de produção (SPA), TLDs e SPAs são uma etapa de avaliação, que podem durar de 6 meses a 1 ano, sem instalação de unidade definitiva.

Segundo nota do Ibama, espera-se que tais investimentos gerem um aumento de produção do país de 500 mil barris por dia de óleo e 16 milhões de m³/dia de gás natural.
Portanto o Brasil deve ultrapassar a marca de 3 milhões de barris de produção diária.

O projeto que foi apresentado ao Ibama

O processo de licenciamento ambiental definitivo da 3ª etapa do Pré-sal, em que o Ibama trabalhará, reúne um total de 23 empreendimentos: um Teste de Longa Duração (TLD), nove sistemas de produção antecipada, um piloto de produção de curta duração, 11 projetos de desenvolvimento de produção, onde se encaixam os FPSOs e um piloto de longa duração.

Ao Ibama, entanto, não foi apresentado o cronograma dos projetos de desenvolvimento, e como ainda não foram incluídos no plano de negócios 2019-2023 da Petrobras, estima-se que sejam projetos para o seu próximo plano de negócios.

Leia também ===> Outra intervenção do Órgão ambiental brasileiro aconteceu em meados de Fevereiro (18/02), o FPSO da BW Offshore Cidade de São Vicente, recebeu licença do Ibama para realizar Testes de Longa Duração (TLD) no campo de Farfan da Petrobras, na área dos blocos exploratório BM-SEAL-11, em águas profundas da Bacia de Sergipe-Alagoas. Acesse aqui e leia esta matéria completa !

Renato Oliveira

About Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki)