Muitas vagas abertas na maior produtora de aço do Brasil, a Gerdau, nas áreas de mineração, logística, manutenção, operação, tecnologia e muito mais, no Programa de Estágio 2021

Flavia Marinho
por
-
20-05-2021 15:32:29
em Estágio e Trainee, Vagas de Emprego
Gerdau - aço - vagas - estágio - usina - siderúrgica - preço Usina da Gerdau / Fonte: Reprodução – Via Google

A maior produtora de aço brasileira está com 80 vagas abertas. Estudantes de nível superior de qualquer curso podem se candidatar e concorrer as oportunidades.

Inicie a carreira na maior produtora de aço do Brasil, a Gerdau. A empresa está com 80 vagas abertas para o seu programa de de estágio, o “G.Start”. As oportunidades são para estudantes de qualquer curso de nível superior que tenham disponibilidade para atuar nas usinas siderúrgicas por 20 ou 30 horas semanais, a depender da unidade.

Leia também

A Gerdau é a maior empresa brasileira produtora de aço, uma das principais fornecedoras de aços longos nas Américas, e de aços especiais no mundo. No Brasil, também produz aços planos, além de minério de ferro para consumo próprio.

O G.Start 2021 busca jovens talentos que queiram acelerar seu desenvolvimento e ajudar a construir o futuro da Gerdau. O processo seletivo aberto pela Gerdau conta com testes online, dinâmica de grupo online, entrevistas e painel com líderes e áreas de pessoas.

Veja, abaixo, os requisitos para concorrer às vagas abertas pela Gerdau

  • Bacharelado, licenciatura ou tecnólogo em andamento;
  • Formação entre dez/2022 e dez/2023;
  • Disponibilidade para estagiar por 20 ou 30 horas semanais, a depender da unidade.

A maior produtora de aço brasileira oferece bolsa auxílio, telemedicina, vale refeição ou refeitório, assistência médica e auxílio medicamento, assistência odontológica e vale transporte ou fretado.

Inscrição: Os interessados em construir uma carreira em uma das maiores produtoras de aço do mundo devem se cadastrar diretamente no site da Gerdau, neste link.

Gerdau anuncia saída de países europeus e asiáticos, mantendo apenas investimentos em fábricas americanas

Com sua fábricas avaliadas em mais de R$ 60 bilhões, a Gerdau deseja que cerca de 20% do seu faturamento venha de negócios diferentes da produção de aço, mas, para isso, a empresa tem inovado. Segundo o executivo Gustavo Weneck, de 47 anos, o primeiro a gerir a empresa sem ser da família que deu nome à companhia, destaca que o grupo tem um grande medo de desaparecer, como muitas outras empresas com mais de 120 anos que ficaram para trás.

Werneck afirmou que outra estratégia da empresa é não operar mais em países da Europa e da Ásia e ter o foco 100% nos países americanos, além de criar negócios de nicho como a Gerdau Summit, criada em 2017, ao lado da japonesa Sumitomo, que produz peças de aço para a indústria de energia eólica. Nesse caso, o processo envolve produção clássica, porém, a dona de diversas fábricas está avançando em outros setores que são inimagináveis para uma empresa que cresceu na arte de forjar aço.

Com sua administração, as despesas foram reduzidas em US$ 300 milhões por ano, somando US$ 900 milhões em três anos. A Gerdau, sobre o comando de Werneck, apresentou um lucro líquido surpreendente de R$ 2,47 bilhões, 1.006% maior do que o da dona de fábricas no ano passado. A receita líquida da companhia de aço chegou a R$ 16,3 bilhões, sendo 77% a mais do que em 2020.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.