Início Morador de Curitiba constrói poste movido a energia solar e gera iluminação de graça na sua região

Morador de Curitiba constrói poste movido a energia solar e gera iluminação de graça na sua região

21 de junho de 2022 às 11:58
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Morador de Curitiba constrói poste movido a energia solar e gera iluminação de graça na sua região
Empreendedor e ambientalista Diego Saldanha criou um poste solar para iluminar a comunidade onde ele mora, em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba (PR) – imagem: Razoes para acreditar/Reprodução

Um morador de Curitiba desenvolveu um poste movido a energia solar que pode mudar a vida de diversas pessoas que não possuem acesso à iluminação pública. O objetivo é espalhar a iniciativa em diversas comunidades

O empreendedor e ambientalista Diego Saldanha desenvolveu um poste movido a energia solar para iluminar a comunidade onde reside, em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba (PR). A iniciativa começou a ser debatida há alguns meses, até que Diego e seu amigo serralheiro, Marcelo, decidiram colocar o projeto em prática. De acordo com Marcelo Quintilhano, Diego lhe perguntou o que poderia ser feito, e o serralheiro respondeu: “cara, posso ajudar, você me entra com o material que eu entro com minha mão de obra.”

Ideia nasce de dificuldades no dia a dia

De acordo com Marcelo, os dois abraçaram a causa juntos e farão o bem em sua comunidade na região de Curitiba, além de passar a ideia adiante. O primeiro poste foi colocado de pé há cerca de uma semana, e rapidamente despertou a atenção da imprensa local.

Artigos recomendados

De acordo com Diego, a iniciativa surgiu diante de uma dificuldade: a rua onde moram é particular e não possui iluminação pública, ficando totalmente escura durante a noite. Para solucionar o problema, foram instaladas placas solares que geram eletricidade para o poste movido a energia solar.

Trabalhe no Setor Eólico do Brasil

O poste conta com um LED de potência de 180 Watts sobre um cano de metal com 4 metros de altura, que ilumina super bem tudo que está ao seu redor, não ficando atrás dos postes comuns. Esta é mais uma das iniciativas de Diego, que há 6 anos desenvolveu uma ecobarreira para limpar o Rio Atuba, em Curitiba, que passa nos fundos de sua casa. De lá para cá, foram toneladas de lixo coletadas e o projeto foi aprimorado. O ambientalista acabou sendo reconhecido pela iniciativa e ganhou vários prêmios.

Poste movido a energia solar pode sair de Curitiba e beneficiar outras comunidades

Antes da instalação do poste movido a energia solar, toda a área com 11 casas onde Diego e Marcelo vivem ficava completamente escura durante a noite e, após a inovação chegar, assim que anoitece, tudo fica mais claro.

A área comum é uma espécie de rua particular, onde a iluminação pública não entra. Com o quintal iluminado, agora várias crianças podem brincar até a noite. Esta é uma inovação que Diego busca levar para outros quintais e outras comunidades que precisam, além desta de Curitiba.

Este é um projeto-piloto elaborado em sua rua, com recursos próprios, e a ideia de Diego é divulgar para que apoiadores e patrocinadores surjam, tornando a ideia de levar o projeto adiante possível, a outras regiões que não possuem acesso à iluminação pública.

Diego destaca que precisa de ajuda para ampliar esse projeto, por isso está começando em sua rua, mostrando que o custo é baixo em relação ao conforto e à segurança que traz aos moradores.

Outros projetos inovadores que levam energia solar para comunidades carentes

A Pisco de Luz é uma iniciativa desenvolvida para beneficiar pessoas que vivem em locais mais afastados e sem acesso a serviços básicos, como, por exemplo, a eletricidade. O projeto teve início em 2017 e, de lá para cá, já beneficiou diversas famílias da comunidade Kalunga que viviam sem energia elétrica em Cavalcante, Goiás.

O projeto surgiu por meio de uma experiência que André Viegas, empresário de Brasília, presenciou quando visitou a comunidade para realizar trabalhos voluntários.

André notou que a lanterna do celular era o único meio de enxergar algo durante a noite. A primeira ideia do empresário foi aproveitar a energia solar, que é extremamente abundante no Brasil.

Relacionados
Mais recentes