Greve dos Petroleiros antecipada hoje em duas refinarias

Greve dos Petroleiros antecipada hoje em duas refinarias

maio 28, 2018 Off Por Paulo Nogueira

NOVAS ATUALIZAÇÕES SOBRE ESTA GREVE, CLIQUEM AQUI PARA SE INFORMAREM MELHOR

Os petroleiros da Replan e Recap anteciparam a greve para esta segunda e no dia 30, será greve geral nacional

A greve dos petroleiros foram antecipadas em duas refinarias de São Paulo, a Replan no município de Paulínia e a Recap, na cidade de Mauá. O sindicato que está a frente destas duas unidades é o Sindipetro Unificado de São Paulo. Anteriormente, a greve estava agendada para o dia 30 deste mês com duração de 72 horas, isto em comum acordo com toda a categoria em nível nacional, mas o Sindipetro Unificado resolveu iniciar hoje. Ainda não sabemos se as outros instituições manterão à agenda. Espera-se que o setor administrativo destas refinarias também cruzem os braços, não somente o operacional.

A motivação para às paralisações visa o apoio a greve dos caminhoneiros, que reivindicam melhores práticas justas para estas alterações diárias nos preços dos combustíveis , que são reguladas pela Petrobras, que segundo o sindicato, favorece apenas o mercado externo em detrimento dos brasileiros. Nos dias de hoje, o preço do barril  barril de petróleo é regulado pelas variações do mercado, já que este insumo é uma commoditie. Na era PT, estes preços estavam “relativamente congelados” porque eram subsidiados pelo governo, a conta acabou chegando para Petrobras no início da crise, fazendo a mudar suas políticas de preços.

No dia 30 de maio,a greve dos petroleiros será nacional em todas à unidades Petrobras, se estendendo desde de o administrativos até o operacional offshore e onshore onde há atividades de óleo e gás. Inicialmente esta greve terminará no dia 2 de junho. Não há informação se trabalhadores terceirizados( aqueles que  não são funcionários Petrobras) podem participar da greve também. Se o cronograma da greve manter-se, não haverá risco de queda na produção inicialmente, mas devido ao desbastecimento de combustíveis nos aeroportos e embarcações de apoio offshore, a sindicato pretende interromper o embarque e desembarque de trabalhadores.