Fábrica da Mercedes-Benz conta com estações de recarga ultrarrápidas da WEG

Roberta Souza
por
-
01-09-2021 14:04:49
em Indústria e Construção Civil
Mercedes-Benz – fábrica – WEG Estação de recarga da WEG/ Fonte: Economia SC

A WEG deixou a fábrica da Mercedes-Benz equipada para recarregar veículos elétricos com a instalação de três estações de recarga ultrarrápidas

A WEG, uma das maiores fabricantes de equipamentos elétricos do mundo, segue reforçando sua reputação, fornecendo agora estações de recarga ultrarrápidas e produtos para a infraestrutura de distribuição de energia da nova fábrica de ônibus da Mercedes-Benz, em São Bernardo do Campo, no estado de São Paulo. Confira ainda esta notícia: Mercedes-Benz vende fábrica de automóveis de Iracemápolis (SP) para a chinesa Great Wall Motors

A estação de recarga da WEG instalada na fábrica da Mercedes-Benz

Além de equipar a nova unidade fabril com a sua linha de barramentos blindados BWW a WEG deixou a fábrica da Mercedes-Benz equipada para recarregar veículos elétricos com a instalação de três estações de recarga ultrarrápidas da linha WEMOB – WEG Electric Mobility, modelo Station de 150kW, ideal para recarga ultrarrápida de veículos pesados em corrente contínua padrão CCS2-DC.

Com capacidade de recarregar completamente as baterias de lítio dos ônibus elétricos em até três horas, as estações da WEG, na fábrica da Mercedes-Benz suportam padrões de recarga em alta tensão, até 920Vcc, mantendo a potência constante, proporcionando a melhor experiência de recarga para todos os veículos elétricos. Os equipamentos possuem ainda controle de acesso seguro via RFID ou aplicativo, medidores de energia e todos os dispositivos de proteção incorporados para uma recarga segura.

Os projetos que a WEG instalou na unidade fabril

A WEG, forneceu produtos para a infraestrutura de distribuição de energia da nova fábrica de ônibus da Mercedes Benz, em São Bernardo do Campo, em São Paulo. Manfred Peter Johann, diretor superintendente da WEG Automação diz que criar soluções para um mundo mais sustentável, atendendo as necessidades da indústria automobilística, faz parte do nosso compromisso para tornar a mobilidade elétrica uma realidade no Brasil.

Os barramentos blindados instalados na nova fábrica da Mercedes-Benz são produtos ideais para a infraestrutura elétrica da indústria automobilística, por permitem rápidas mudanças de lay-out sem a necessidade de alterações complexas na rede de distribuição de energia. Projetados para uso abrigado, os barramentos são seguros, robustos, compactos, flexíveis e modulares. As barras condutoras são revestidas com estanho por processo de eletrólise em toda a extensão, conferindo total proteção contra o surgimento de óxidos do metal condutor e prevenindo a corrosão galvânica nas conexões.

Confira ainda esta notícia: Com tecnologia nacional, Mercedes-Benz anuncia produção de ônibus elétrico no Brasil

A montadora alemã Mercedes-Benz está investindo na mobilidade elétrica e anunciou nesta semana o seu primeiro ônibus elétrico no Brasil, em um projeto onde mais de R$ 100 milhões foram injetados. O novo anúncio contempla o chassi e0500U, que é um modelo padron urbano de piso baixo e que está sendo desenvolvido há cinco anos, a empresa estima que as vendas começarão em 2022.

O e0500U é um ônibus com medidas padron, possui 13,2 metros de comprimento, além de piso baixo e uma capacidade total de até 83 passageiros, o que faz dele um modelo idêntico aos movidos a diesel. Com uma potência constante de 250 cavalos, o veículo consegue obter picos de até 380 cavalos, tudo isso utilizando um eixo trativo elétrico da ZF que traz dois motores, um em cada roda traseira.

A autonomia de bateria do ônibus elétrico da Mercedes-Benz é de 250 km com uma recarga que pode ser realizada em duas horas e meia, ele é equipado com quatro módulos de bateria, sendo dois sob o teto e dois sob o piso, e ainda pode receber mais dois módulos que aumenta a autonomia do ônibus para 300 km. O e0500U tem peso total de 8,1 toneladas em seu chassi, e pesa 14,8 toneladas junto da carroceria, 2 toneladas a mais do que geralmente se encontra em veículos a diesel. Ainda não se sabe quais carrocerias serão utilizadas, mas já estão acontecendo negociações com empresas no Brasil para realizar parcerias.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe