Estudo prevê escassez de embarcações de instalação de parques eólicos offshore e navios de carga pesada

Roberta Souza
por
-
29-11-2020 18:33:41
em Energia Renovável
offshore, navio, parques eólicos Foto: reprodução

O relatório foi desenvolvido pela Rystad Energy, que prevê um déficit no fornecimento mundial de WTIVs (embarcações offshore) e navios de carga pesada

Em um novo relatório, a consultoria Rystad Energy prevê que o fornecimento mundial de embarcações de instalação de turbinas eólicas offshore (WTIVs) e navios de carga pesada ficará aquém da média da década, refletindo um boom no desenvolvimento de novos parques eólicos e advento de designs de turbinas cada vez maiores. A descoberta reflete a visão do armador Scorpio Bulkers, que está saindo do setor de granéis sólidos e investindo em WTIVs de alta qualidade em antecipação às altas taxas diárias futuras.

Veja ainda:

A Rystad prevê que a demanda de trabalho para navios de instalação em 2020 é de cerca de 8-13 navios-ano, abrangidos por cerca de 32 WTIVs ativos e 14 navios de instalação de fundação. Isso é mais do que suficiente para atender às necessidades do mercado na Europa no momento, mas a demanda global provavelmente aumentará cinco vezes até 2030, prevê a empresa. (A Rystad excluiu a China da análise, uma vez que os desenvolvedores chineses devem buscar seus navios e serviços no mercado doméstico.)

Como Scorpio Bulkers também previu, o déficit de embarcações será sentido de forma mais aguda para projetos que usam as mais recentes turbinas ultragrandes, como o enorme Haliade-X da GE. Apenas quatro WTIVs no mundo podem lidar com esses gigantes de 250 metros, e projetos futuros em escala comercial geralmente favorecem as maiores classes de turbinas para manter baixo o custo por quilowatt de capacidade. Os concorrentes da GE estão planejando turbinas ainda maiores em uma corrida armamentista que não mostra sinais de desaceleração.

“Identificamos o segmento de navios de carga pesada como o principal gargalo para o desenvolvimento eólico offshore a partir de meados desta década, e a necessidade de embarcações de próxima geração pode desacelerar as reduções de custo esperadas na energia eólica offshore”, disse Alexander Fløtre, gerente de produto da Rystad Energy para vento offshore.

Os preços de aquisição de turbinas e fundações (jaquetas ou monopilhas) representam os maiores custos de um parque eólico, mas o trabalho de instalação também exige capital intensivo. Ele pode consumir cerca de 20-30 por cento do custo total do projeto, de acordo com a Rystad – até um bilhão de dólares para um projeto de 100 turbinas e um gigawatt. Com cerca de 5 a 9 dias de navio de trabalho e tempo de espera por turbina, e com uma taxa de dias WTIV superior a US$ 200.000, a oportunidade de receita para os armadores aumenta rapidamente.

“Olhando para o futuro, as embarcações terão que atender à fase inicial de construção dos empreendimentos, além de manter e substituir periodicamente a base ativa de equipamentos. O segmento que terá sucesso em atender às necessidades futuras da indústria eólica offshore será capaz de oferecer esta sinergia valiosa para apoiar uma utilização saudável da frota”, disse Alexander.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos