Energia solar de geração própria alcançou a marca de 6 GW de potência no Brasil

Roberta Souza
por
-
29-06-2021 21:59:03
em Energia Renovável
Energia solar – geração de energia – energia Geração de energia solar/ Fonte: Portal Solar

No ano passado, a chamada geração de energia solar distribuída adicionou 2,5 GW de capacidade instalada no país, sendo a fonte que mais cresceu no período

A Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) informou que a geração própria de energia solar alcançou a marca de 6 gigawatts de potência no Brasil. A capacidade é equivalente a 40% da potência da usina de Itaipu, a maior hidrelétrica brasileira. De acordo com a entidade, o segmento promove enormes benefícios à população e já trouxe mais de R$ 30,6 bilhões em investimentos e 180 mil empregos acumulados no Brasil desde 2012. Veja ainda: Governo de Minas Gerais e a EMGD firmam acordo para inauguração de cinco usinas de geração de energia solar

Aumento do uso de energia solar no Brasil

Os números encorajam a indústria a pedir maior protagonismo nas definições da política energética e incentivos para o crescimento. Nesta terça-feira, 29, a Absolar encaminhou ao Ministério de Minas e Energia uma série de propostas para aliviar a crise hídrica atual, que pode exigir o racionamento de energia, usando energia solar. Nesta terça-feira, a Agência Nacional de Energia Elétrica ajustou a tarifa da bandeira vermelha em 52%.

Rodrigo Sauaia, CEO da Absolar, diz que “Tanto as grandes usinas quanto os pequenos sistemas em telhados contribuem para aliviar a pressão sobre os reservatórios das hidrelétricas e diminuir o acionamento de termelétricas fósseis, mais caras e poluentes. Isso ajuda a reduzir a demanda por eletricidade no País, especialmente nos horários de pico de consumo do sistema, entre 11h e 18h.”

A entidade propôs ao ministro Bento Albuquerque que o governo estabeleça um incentivo claro para a geração de energia solar com investimentos próprios dos consumidores, e que atue junto às distribuidoras para destravar novos projetos em telhados e pequenos terrenos, que ainda aguardam liberação das concessionárias.

Brasil ainda continua atrasado, quando comparado a outros países

Embora tenha avançado nos últimos anos, o Brasil – detentor de um dos melhores recursos solares do planeta – continua atrasado no uso da geração de energia solar. Dos mais de 87 milhões de consumidores de energia elétrica do País, menos de 0,7% já faz uso do sol para produzir eletricidade, limpa, renovável e competitiva.

Para a entidade, a aprovação pelo Congresso Nacional de um marco legal para a geração própria de energia renovável, como proposto no Projeto de Lei (PL) nº 5.829/2019, fortalecerá a diversificação da matriz elétrica brasileira e a segurança de suprimento elétrico em tempos de crise hídrica e bandeira vermelha na conta de luz, decorrente do uso maciço de termelétricas fósseis.

Veja ainda: Energia Solar – Potência operacional em sistemas e usinas fotovoltaicas atinge marca de 9 GW. Mais de R$ 46 bilhões foram investidos, gerando mais de 270 mil empregos

Dados divulgados pela Absolar – Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica, mostraram que o Brasil chegou à marca histórica de 9 GW de potência operacional em usinas fotovoltaicas de grande porte e com pequenos e médios sistemas instalados em telhados, fachadas e terrenos. O levantamento ainda indicou que a fonte trouxe mais de R$ 46 bilhões em investimentos e gerou muitos empregos no país.

A Absolar indicou que com o avanço da energia solar, por meio dos leilões para grandes centrais, ou pela geração própria em residências, pequenos negócios, propriedades rurais e prédios públicos são fundamentais para reduzir o chamado “custo Brasil”, trazendo mais competitividade e ajudando a reduzir a ocorrência das bandeiras vermelhas na conta de luz, além de diversificar o suprimento.

O segmento centralizado de energia solar conta com 3,3 GW de potência instalada em usinas, equivalente a 1,9% da matriz elétrica brasileira, tornando-se em 2019 a tecnologia mais competitiva entre as fontes renováveis nos dois Leilões de Energia Nova, A-4 e A-6, com preços-médios abaixo dos US$ 21,00/MWh.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos