Crise do Petróleo: Conteúdo Local é visto como o principal entrave da economia

Crise do Petróleo: Conteúdo Local é visto como o principal entrave da economia

Olá amigos e seguidores do Click Petróleo e Gás, gostaria de prover algumas opiniões pessoais a respeito da crise  no setor, não apenas no setor offshore, mas em todos os seguimentos do ramo petrolífero. Muitas pessoas, principalmente jovens que nunca trabalharam , chegam até mim perguntando o que acho do momento que o Brasil vive e se devem investir tempo e dinheiro em um setor afetado brutalmente pelos esquemas de corrupção envolvendo a estatal Petrobras.

 


Crise do Petróleo: Conteúdo Local é visto como…

Apesar das dificuldades, o mundo do século 21 é literalmente movido a petróleo. O Brasil particularmente detém é a 5ª maior produção diária de hidrocarbonetos no mundo, chegando a marca que supera os 50.000 barris. Nossas reservas segundo estudos da IBP, podem chegar aos 200 bilhões de barris. Possivelmente a raça humana viveria de outra forma de energia e não conseguiríamos produzir tudo que somos capazes em nossas reservas de combustíveis fósseis. Mas ai você me pergunta: se temos petróleo, temos empresas com tecnologia para explorar e trabalhadores qualificados, o que falta então? O que falta meu amigo é vontade política!

No artigo em que o Click Petróleo e Gás marcou presença no evento Avant Premiére, ao qual estivemos com as maiores produtoras de petróleo do mundo, foi relatado que a culpa da falta de investimentos e oportunidades no setor é única e exclusivamente governamental por causa do Conteúdo Local.( Que é a palavra chave do assunto de hoje)

O conteúdo local é uma lei que diz que produtos e serviços inerentes a exploração do petróleo no Brasil, devem ser ministrados por empresas nacionais. Mas é ai que a coisa começa a ficar complicada.

Vamos seguir um exemplo hipotético( que na verdade não é): A Petrobras necessita produzir determinado ativo e ela precisa contratar alguma empresa BRASILEIRA para faze-lo. Essas mesmas devem consumir e fechar negócios com outras empresas do país.( uma espécie de triagem territorial) Você percebeu que por causa do conteúdo local o nosso mercado ficou totalmente fechado? A questão é que as companhias brasileiras não detém capacidade para explorar todo o potencial que poderíamos se o mercado fosse aberto a outras empresas estrangeiras. A Petrobras literalmente se vê com as mãos amarradas porque existe empresas globais com esse expertise tecnológico e operacional para produzir tudo que está sob nossos pés, mas não pode contrata-las por causa do conteúdo local. Como consequência, o Brasil deixa de receber investimentos, o que resultaria na falta de injeção na economia. Deixamos de gerar empregos porque haveria menos operações  e perdemos a chance de baratear o preço dos combustíveis, já que quanto maior o número de operadoras, maior seria a quantidade de petróleo produzido e consequentemente, mais barato e competitivo ficariam os preços, já que essas mesmas disputariam entre si pela maior desenvoltura no mercado interno.( que seria a lei de oferta e procura)

Outra questão que afeta a economia são as taxas impostas pelo governo, sendo que o Rio de Janeiro é o campeão delas. A todo momento aparecem enxurradas de impostos, que dificultam e desmotivam as operadoras petrolíferas no Brasil.

Empresas como a Shell, ExxonMobil, Total, Chevron e mais um gama de multinacionais, já disseram que estão esperando  o resultados das eleições em 2018 para saber se o novo presidente juntamente com sua base aliada, flexibilizarão a questão do conteúdo local e se abrirão o mercado para estrangeiras ou não. E uma coisa eu falo amigos, se você votarem no governo do PT novamente, nós estaremos literalmente liquidados!

O mundo vê a governança do Partido dos Trabalhadores com maus olhos e elas não investirão em um país dirigido por um governo que dificulta a entrada de outras operadores. E vocês sabem muito como a mente desse partido funciona: “A Petrobrás é nossa, o petróleo é nosso mas o dinheiro é deles.” Mexer nas leis de conteúdo local, nem pensar.

Essa crise que estamos passando é apenas a ponta do iceberg. Gostaria que vocês parassem agora para pensar nas gerações futuras, que vocês olhassem bem e profundamente nos olhos de seus filhos e se perguntem se o que você, eu e o Brasil estamos passando no momento devido a essa crise, é justo que elas passem também.

Lembrem-se, em 2018 votem em candidatos a presidência que tenham a pretensão de abrir o mercado( para outras empresas) e mexer no conteúdo local, as grandes corporações mundiais já deixaram claro bem que se não houver essa iniciativa por parte das lideranças políticas nesse sentido, nada de investimentos, simplesmente  serão longos anos de crise ao invés de poucos.

As pessoas que votam no PT por causa do Bolsa Família, Bolsa Moradia e bolsa um monte de coisas,  eu lhe digo que esse”benefício vai acabar”. O governo gasta mais com esses programas sociais do que consegue arrecadar e como consequência, estamos sendo fuzilados na questão previdenciária para cobrir o rombo dos cofres públicos. Em 2018 esses cortes naturalmente chegarão também nos programas sociais do governo. Em outras palavras: Vai ficar ruim pra todo mundo.

Trabalhe embarcado em 4 passos

Já imaginou um tipo de emprego ao qual você trabalha 6 meses e folga 6, além de um faturamento anual que ultrapassa fácil os 100 mil reais? Parece um sonho, mas é totalmente possível. O método 4 Passos Para Trabalhar Embarcado oferece todos os recursos que você precisa para trilhar o caminho rumo ao sucesso profissional, nas verdade nem precisa ter formação técnica ou superior, apenas vontade. Pessoas reais e comentários reais de profissionais que estão tendo sucesso com este material. Mas o método por si só não faz milagres, você têm que querer, desejar muito...  Não basta fazer cursos, estudar muito e torcer para que o mercado absorva você, o conhecimento é a chave, e esta chave você encontra no curso 4 Passos Para Trabalhar Embarcado clicando aqui.
The following two tabs change content below.
Paulo Nogueira
Formado em Eletrotécnica e entusiasta do setor de tecnologia, já atuei em empresas do ramo de energia, óleo e gás como técnico de operações, Pressure Downrole Gauge Operator e em plataformas de completação do Brasil e exterior