Trabalhadores do COMPERJ declaram greve e param a obra do consórcio KERUI MÉTODO; empresa colocou ontem (12/10) mais trabalhadores de férias coletiva

Flavia Marinho
por
-
13-10-2021 08:56:59
em Refinaria e Termoelétrica
COMPERJ - kerui método - greve - Greve dos trabalhadores KERUI MÉTODO no dia 13/10/2021 / Imagem COMPERJ ONLINE

Metalúrgicos paralisam obras da KERUI MÉTODO no COMPERJ. De acordo com informações, a empresa colocou mais de mil trabalhadores de férias coletiva.

KERUI MÉTODO coloca mais trabalhadores de férias coletiva e categoria se une para paralisar novamente as obras da empresa no COMPERJ. Funcionários da terceirizada entraram em contato com o Click Petróleo e Gás para relatar a insatisfação e o descaso que anda acontecendo por parte da empresa.

Leia também

Ontem, mais trabalhadores entraram de férias coletivas. “E a pouco, por volta das 15:30h, mandaram um comunicado para alguns funcionários; não sei o total de colaboradores mas sendo uma quantia grande de várias funções entre equipe de montagem de andaimes, soldadores, lixador entre outros”, informou ontem, um colaborador da KM, ao Click Petróleo e Gás.

Nova paralisação da categoria reivindica descaso da empresa. “Funcionários estão indignados pela forma como foi e estão sendo tratados. Eu nunca vi colaborador entrar de férias e ter que dar baixa nos materiais”, finaliza.

Na última semana, já teve uma paralisação de um dia no Comperj, referente a reclamação da KERUI MÉTODO. Colocar de uma só vez 1.300 funcionários de férias, mas parece que a greve de um dia não foi o suficiente para que a empresa não voltasse a repetir tal comportamento.

Confira abaixo o vídeo com a insatisfação dos trabalhadores.

Lembrando que após trancos e barrancos em maio deste ano, a KERUI MÉTODO fechou um acordo com a Petrobras e anunciou novas contratações para retomar as obras da UPGN do Comperj.

A unidade faz parte do projeto Rota 3 para escoar a produção de gás natural do pré-sal da Bacia de Santos. O início das obras ocorreu no primeiro semestre de 2018 e a estimativa da época é que fossem finalizadas no segundo semestre deste ano, o que provavelmente não vai acontecer.

Confira abaixo a nota emitida, em 9 de outubro, pela KM

Nenhuma descrição de foto disponível.

Em junho de 2020 a Kerui Método atrasou o pagamento e equipamentos do Comperj ficaram parados no Porto do Rio

Não é de hoje que funcionários da empresa enfrentam problemas parecidos, e não é só os funcionários que a empresa deixa insatisfeitos. Em junho de 2020 a Kerui Método atrasou o pagamento e equipamentos do Comperj ficaram parados no Porto do Rio

Se tratava de estruturas modulares da unidade de processamento de gás natural (UPGN), do Comperj, e as mesmas ficaram retidas por mais de 50 dias no Porto do Rio de Janeiro, por falta de pagamento.

De acordo com informações dada na época ao Petróleo Hoje, o Consórcio Kerui Método (KM), não pagou a empresa de logística responsável pelo transporte, via balsas, dos equipamentos.

Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN) no Polo GasLub em Itaboraí vai escoar gás natural do pré-sal

O Projeto Integrado Rota 3 disponibilizará mais uma rota de escoamento para o gás natural do pré-sal. Este projeto contempla a construção de uma Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN), no Polo GasLub em Itaboraí, com capacidade de processar até 21 milhões de m³ por dia; e a construção de um gasoduto de 355 km de extensão interligando as unidades de produção do pré-sal até a UPGN, sendo 307 km de trecho marítimo (já construídos) e 48 km de trecho terrestre. Atualmente a Petrobras já dispõe das Rotas 1 e 2 (respectivamente, Caraguatatuba – SP, e Cabiúnas – Macaé – RJ), para escoar o gás produzido nos campos offshore.

O Polo GasLub será mais um ativo importante da Petrobras no Rio de Janeiro. A Petrobras está presente em diversas frentes no estado. Desde a exploração de campos de petróleo na costa fluminense nas Bacias de Santos e Campos, passando pela Refinaria de Duque de Caxias (Reduc), o Terminal de Regaseificação da Baía de Guanabara (GNL), e as usinas termelétricas Termorio, Termomacaé, Baixada Fluminense e Seropédica, além dos terminais operados pela subsidiária Transpetro (Campos Elíseos, Aquaviário Angra, Ilha D’Água, Triunfo e Imbetiba).

Nos próximos anos, a companhia planeja importantes investimentos em atividades no Rio de Janeiro. Somente na Bacia de Campos, na porção Norte Fluminense, estão previstos US$13 bilhões a serem investidos. A Petrobras é sensível às demandas da sociedade e contribui para o desenvolvimento nacional.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.
fwefwefwefwefwe