Brasil fecha parceria com EUA e estrangeiras de vários países miram operar no Centro Espacial de Alcântara (CEA)

Flavia Marinho
por
-
26-04-2021 10:34:55
em Economia, Negócios e Política
centro espacial - EUA - Cazaquistão - nuclear - Brasil - operação Centro Espacial de Alcântara (CEA)




Centro Espacial de Alcântara, no Maranhão, se torna “alvo” de 14 estrangeiras que miram operação no espaçoporto, após Brasil fechar parceria com EUA

Após aprovado e homologado o Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST) que assegura parceria comercial entre o Brasil e os Estados Unidos da América (EUA) para uso do Centro Espacial de Alcântara (CEA), 14 empresas de diferentes países mostraram interesse em realizar operações no espaçoporto de Alcântara/MA, estimulando o desenvolvimento regional e nacional, emprego e tecnologia no Brasil.

Leia também

“Após a homologado do Acordo de Salvaguardas Tecnológicas pelo Governo Federal, crescem os interesses de empresas no espaçoporto de Alcântara. Desenvolvimento regional e nacional, emprego e tecnologia; 14 empresas de diferentes países já manifestaram interesse em realizar operações a partir de Alcântara. Um marco para a história e para o Programa Espacial Brasileiro”, escreveu Bolsonaro.

Centro Espacial de Alcântara, no Maranhão

O Centro Espacial de Alcântara (CEA) tem sido tratado como prioridade pelo Ministério de Ciência e Tecnologia, que tem como ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, o astronauta Marcos Pontes.

Marcos Pontes tem mantido uma rotina de visitas trimestrais em Alcântara. Ele também já levou outros ministros e membros do Congresso Nacional para conhecerem a cidade e o Centro Espacial de Alcântara.

O objetivo, segundo ele, é atrair investimentos de outros setores do Governo Federal e apoio de senadores e deputados federais de todo o país, no projeto de expansão do Centro Espacial de Alcântara.

Brasil e Cazaquistão discutem cooperação nas áreas espacial e tecnológica

Pontes participou de uma audiência virtual, na última quinta-feira (22), com o novo embaixador do Cazaquistão no Brasil, Bolat Nussupov, para discutir possibilidades de cooperação bilateral, com destaque para o centro espacial e o desenvolvimento de tecnologias. Já está em fase de negociação um memorando de entendimento na área espacial entre os dois países e a expectativa é de que seja assinado até o fim deste ano.

“Temos interesses em comum e nossas parcerias podem ser benéficas para os dois países”, afirmou o ministro.

O embaixador do Cazaquistão no Brasil destacou a parceria sólida entre os dois países na área espacial e, segundo ele, a expectativa é assinar o memorando de entendimento bilateral no setor durante a visita ao Brasil do Chefe de Governo do Cazaquistão, Askar Mamin, prevista para o fim deste ano. O Memorando de Entendimento sobre Cooperação no Campo das Atividades Espaciais para Fins Pacíficos está sendo elaborado pelo MCTI e pelo Ministério da Defesa e Indústria Aeroespacial do Cazaquistão.

“Temos dois países com enorme potencial para desenvolver e trocar experiência nas áreas de ciência e tecnologia”, afirmou Bolat Nussupov. O país adotou uma estratégia com o objetivo de se tornar um dos 30 países mais desenvolvidos no setor tecnológico até 2050.

Cazaquistão também mira parceria nuclear com o Brasil

Durante a audiência, o embaixador do Cazaquistão também manifestou o interesse de apresentar uma proposta de cooperação com o Brasil na área nuclear para fins pacíficos. O ministro Marcos Pontes ressaltou que a política Espacial e Nuclear do país é uma responsabilidade do MCTI, mas que envolve outros órgãos do governo federal. Marcos Pontes revelou que o ministério já elaborou e enviou à Casa Civil uma proposta de decreto que cria a Autoridade Nacional de Segurança Nuclear.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.