Início Agência Internacional de Energia (AIE) projeta redução na demanda por gás natural causada pela alta nos preços do commodity

Agência Internacional de Energia (AIE) projeta redução na demanda por gás natural causada pela alta nos preços do commodity

7 de julho de 2022 às 09:25
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Fatores como a guerra entre a Rússia e a Ucrânia e os altos preços do commodity no mercado internacional causarão uma forte redução na demanda pelo gás natural ao longo dos próximos anos, segundo as projeções da AIE.
Foto: Divulgação/ASN

Fatores como a guerra entre a Rússia e a Ucrânia e os altos preços do commodity no mercado internacional causarão uma forte redução na demanda pelo gás natural ao longo dos próximos anos, segundo as projeções da AIE.

Em meio a um cenário de instabilidade no setor de combustíveis internacional, as projeções da Agência Internacional de Energia (AIE) nesta quarta-feira, (06/07), para o futuro do mercado de gás natural não são tão otimistas. Isso, pois o órgão prevê que os altos preços do commodity no cenário internacional e os conflitos geopolíticos causarão uma queda forte na demanda pelo produto ao longo dos próximos anos, impactando o mercado de combustíveis.

Mercado de gás natural internacional pode sofrer com queda na demanda do commodity ao longo dos próximos anos, aponta projeções da AIE

A AIE está com projeções nada positivas para o segmento de combustíveis durante os próximos anos, uma vez que, com o cenário internacional cada vez mais instável, a tendência é que a demanda pelo gás natural diminua de forma significativa. As pesquisas da agência apontam que fatores como a guerra entre a Rússia e a Ucrânia, que desencadeou uma crise no abastecimento de mercadorias, e os altos preços do commodity poderão contribuir para um cenário instável nos próximos anos. 

Artigos recomendados

Os dados estão disponíveis no relatório da AIE, lançado nesta última terça-feira, que  prevê que a demanda global por gás natural aumentará em 140 bilhões de metros cúbicos entre 2021 e 2025. Apesar desses números parecerem significativos e otimistas para o mercado de combustíveis internacional, isso é menos da metade do aumento de 370 bilhões de metros cúbicos observado nos cinco anos anteriores.

Dessa forma, a economia dos países exportadores do produto será fortemente afetada com a queda na demanda pelo commodity. Além disso, as projeções da AIE também apontam para um crescimento econômico cada vez mais lento nas principais nações do mundo, o que contribuirá para a baixa procura pelo gás natural.

Outro ponto importante na análise é a questão ambiental, uma vez que, embora seja mais limpo quanto à poluição atmosférica em relação a outros combustíveis, o metano liberado durante o processo de extração do gás natural é um fator significativo das mudanças climáticas. Dessa forma, as discussões acerca dos impactos dessa substância no meio ambiente também podem colaborar para uma diminuição na procura pelo commodity. 

Guerra entre Rússia e Ucrânia agravou cenário de alta nos preços do gás natural e contribuiu para um futuro instável no mercado do commodity

O principal ponto analisado pela AIE na questão da queda na demanda pelo gás natural no futuro é a influência dos conflitos entre a Rússia e a Ucrânia, eclodidos no início do ano. Essa guerra vem afetando fortemente a cadeia de abastecimento mundial, uma vez que os portos estão realizando restrições e a movimentação de cargas entre os países envolvidos está cada vez menos recorrente. 

Dessa forma, a AIE aponta que os esforços dos países da União Europeia para se livrar do gás russo levarão a uma queda nas exportações de gasodutos da Rússia para o bloco de 55% para 75%. Assim, Keisuke Sadamori, diretor de mercados de energia e segurança da agência, destacou o impacto do cenário nos preços do gás natural e ressaltou que a crise no abastecimento mundial vem causando um forte amento nesses valores. 

O executivo finalizou: “Agora estamos vendo picos de preços inevitáveis ​​à medida que países ao redor do mundo competem por remessas de gás natural, mas a resposta mais sustentável à crise global de energia de hoje são os esforços e políticas para usar a energia com mais eficiência e acelerar as transições de energia limpa”.

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
YouTube YouTube
Instagram Instagram
Telegram Telegram
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes