Porto do Açú é destaque na imprensa da China

Porto do Açú China Parceria

Porto do Açu foi destaque internacional em matéria da CGTN, principal canal em língua inglesa da China, enaltecendo grandes oportunidades de negócios e atividades portuárias entre as duas nações

China e Brasil assinaram uma relação especial entre os portos irmãos do porto chinês de Guangzhou e o Porto de Açu, o mais movimentado do Brasil. Lucrecia Franco da CGTN diz mais sobre etsa nova parceria. Segue a transcrição completa da reportagem, o link original da CGTN está na caixa de comentários no final desta matéria.

“Este é o Porto do Açu, o maior complexo portuário da América Latina. Localizado em São João da Barra, no estado do Rio de Janeiro, o complexo possui uma área total de 130 quilômetros quadrados e nove terminais. E este é o porto de Guangzhou, que se tornou o porto-irmão da Açu em maio. Guangzhou é o quinto maior porto e centro regional do mundo no sul da China, movimentando mais de 600 milhões de toneladas de carga em 2018

Maartje Driessens, gerente de parcerias estratégicas, Porto do Açu “Quando olhamos para o porto de Guangzhou, eles têm cerca de cinqüenta portos irmãos. Eles estão ligados, por exemplo, com a África, com o porto de Lagos, na Nigéria. Eles estão conectados com portos na Indonésia, nos Estados Unidos, na Ásia, na Europa Então, fazer parte deste clube é um privilégio real, porque realmente nos permite tornar-se um dos melhores desta categoria, basicamente, Guangzhou abre as portas para muitas autoridades portuárias em todo o mundo “.

E há mais boas razões para o interesse desse porto na China: o minério de ferro. O Brasil é o segundo maior fornecedor de minério de ferro da China. Este porto tem um terminal dedicado para exportar matérias-primas de minério de ferro que é fundamental para a expansão industrial da China.

Luiz Francisco da Silva,  Gerente de Operações de Terminais do porto do Açú diz: “É a mais avançada tecnologia para exportar minério de ferro, do estoque até o requisitante dos materiais porque nós verificamos todas as partes do processo, a partir da quantidade de materiais que recebemos até a qualidade do produto que temos em estoque “.

O porto tem um sistema automatizado que pode lidar com mais de 26 milhões de toneladas de minério de ferro por ano. O minério vem de minas próximas através de oleodutos. E, depois de um processo de secagem, está pronto para carregar navios gigantes que navegam principalmente para a China, incluindo Guangzhou, seu novo porto irmão.

Lucrecia Franco, São João da Barra, Brasil: “Mas a demanda da China por commodities brasileiras não é a única razão para a parceria. O conceito é compartilhar conhecimentos que e também atraem as empresas chinesas a operar dentro deste recente complexo industrial.

MAARTJE DRIESSENS GERENTE DE PARCERIAS ESTRATÉGICAS, PORTO DE ACU: “Somos um porto novo, temos uma infraestrutura de última geração, o que garante alta produtividade e alta eficiência. Além disso, já estamos operando, temos terminais. Então, basicamente, as empresas chinesas que querem exportar e importar e produzir têm toda a infraestrutura de que necessitam. ”

Uma indicação clara de quanto interesse o Brasil tem em aprofundar a cooperação com a China, o principal parceiro comercial do Brasil, com quase US $ 100 bilhões em comércio bilateral no ano passado. Lucrecia Franco, CGTN, São João da Barra, Brasil.”


Sobre Paulo Nogueira

Formado em Eletrotécnica e entusiasta do setor de tecnologia, já atuei em empresas do ramo de energia, óleo e gás em operações de completação, perfuração e produção em empresas em parceria com grandes empresas multinacionais do setor.