PetroRio define a Fase 3 no plano de revitalização do Campo de Polvo

Petro-rio bw-offshore Polvo

A petroleira brasileira PetroRio deve investir ainda mais no campo de Polvo como parte do plano de revitalização do campo offshore, que visa aumentar as taxas de recuperação do campo de Polvo e estender sua vida útil.

A PetroRio disse  hoje (22) que a primeira fase da revitalização do campo de Polvo ocorreu em 2016 e resultou em um aumento de 20% na produção e nas reservas do Campo. Na segunda fase, a Campanha de Perfuração de 2018 foi concluída em um custo total de US $ 42,7 milhões e aumentando a produção do ativo em aproximadamente 65%, enquanto estende sua vida útil até 2024 considerando as reservas 1P, 2027 com 2P e 2031 quando consideradas reservas 3P.

Agora, usando as informações coletadas durante a Campanha de perfuração de 2018, a PetroRio definiu as metas da Fase 3 do Plano de Revitalização, que consiste em uma nova campanha de perfuração em 2019.

Para esta campanha, 22 reservatórios com potencial petrolífero foram mapeados e classificados, dos quais até quatro poços serão selecionados para perfuração, e 18 mantidos para campanhas futuras, informou a petrolífera.

A campanha de perfuração de 2019 será lançada entre o segundo e o terceiro trimestre de 2019, após os investimentos na plataforma de perfuração da empresa – que faz parte da plataforma fixa em Polvo (Polvo-A) – estarem concluídos no primeiro semestre de 2019. Cada poço levará aproximadamente dois meses desde a perfuração até a conclusão e produção.

A PetroRio espera que a campanha de perfuração de 2019 possa estender a vida do campo de Polvo até 2030, considerando as reservas 1P, com cada poço produzindo inicialmente cerca de 2.000 barris por dia.

A PetroRio estima que os quatro poços no total custarão entre US $ 30 milhões e US $ 60 milhões, dependendo do sucesso de cada poço.

Financiamento no local

A PetroRio informou que assinou um contrato de exportação de pré-pagamento com o ICBC para acessar um empréstimo de US $ 60 milhões com prazo de quatro anos. O acordo inclui um acordo de marketing com a PetroChina, permitindo que a empresa venda
Produção de Polvo durante o período do contrato. A instalação também inclui uma linha de crédito adicional de US $ 60 milhões, dependendo do resultado da Campanha de perfuração de 2019.

A PetroRio assinou ainda uma linha de crédito de até R $ 90 milhões com um prazo de 10 anos, incluindo um período de carência de 2,5 anos.

“A PetroRio espera implementar técnicas EOR (Enhanced Oil Recovery) no Campo de Polvo, incluindo o uso de inundação de polímeros, acidificação bem e perfuração multilateral de poços, entre outros, para melhorar a produtividade do poço, aumentar as taxas de recuperação de petróleo e prolongar a vida econômica do Polvo. A Companhia acredita que ambos os contratos de financiamento são essenciais para financiar o plano de revitalização do Campo, permitindo que a PetroRio implemente caixa para aquisições em andamento e futuras. Além disso, os contratos de financiamento permitem que a Companhia se aproxime de uma estrutura de capital ideal e marque a estreia da PetroRio no financiamento de dívida de longo prazo ”, disse a PetroRio.

FPSO com contrato estendido

Conforme relatado anteriormente, a PetroRio assinou no mês passado um acordo com a BW Offshore para uma prorrogação de um ano para o arrendamento e operação do FPSO Polvo operando no campo homônimo offshore no Brasil.

O período firme foi ampliado do terceiro trimestre de 2019 para o terceiro trimestre de 2020, com opções até o 3T 2022.

O FPSO Polvo foi premiado com uma extensão de um ano em janeiro de 2018. Esta opção expira no terceiro trimestre de 2019.

A BW Offshore está operando o FPSO Polvo no campo de Polvo, operado pela Petrorio, localizado na bacia de Campos, no litoral do Brasil, a aproximadamente 100 quilômetros da costa do Rio de Janeiro, em profundidades de cerca de 100 metros.

O campo foi desenvolvido com uma plataforma fixa, conhecida como Polvo A, e o FPSO Polvo, que é capaz de processar diariamente uma produção de óleo de 90.000 barris de petróleo por dia, com capacidade de armazenamento de 1,6 milhão de barris.


Sobre Paulo Nogueira

Formado em Eletrotécnica e entusiasta do setor de tecnologia, já atuei em empresas do ramo de energia, óleo e gás em operações de completação, perfuração e produção em empresas em parceria com grandes empresas multinacionais do setor.