No Amazonas e em Roraima Eneva inicia exploração do gás natural que vai gerar 2 mil empregos

Amazonas e roraima terão 2 mil empregos

No campo de Azulão no Amazonas, projeto que terá a participação da Techint, a Eneva começará a instalar os equipamentos para a perfuração e exploração

Depois do Campo de Azulão, projeto em que Techint vai construir uma termelétrica, ter recebido a última licença, chegou a vez da Eneva começar a sua participação.
No próximo dia 11, a Eneva começa a instalação de equipamentos para perfuração e exploração do gás natural nos estados de Roraima e Amazonas. A área fica entre os municípios de Silves e Itapiranga, no campo de gás natural Azulão.

Quem anunciou o início das obras da Eneva foi o governador do Amazonas, Wilson Lima, que falou também sobre a importância dos estados de Amazonas e Roraima na exploração de gás em terra, “O estado do Amazonas possui 50% de todas as reservas brasileiras de exploração de gás em terra. Esse é um investimento da ordem de R$ 1,8 bilhão. Cerca de R$ 700 milhões serão investidos no estado de Roraima, onde a empresa vai fornecer energia elétrica, com a usina, e R$ 1,1 bilhão será investido aqui no estado do Amazonas”, declarou ele.

O empreendimento

O complexo de gás natural no campo de Azulão é um projeto em que a Techint foi contratada para a construção da Termelétrica Jaguatirica II em Boa Vista, Roraima, e que conta também com construção da unidade de tratamento de gás natural, que será construída pela Eneva e um terminal de liquefação.

A Eneva estima que sejam gerados 1.000 empregos em Roraima e mais 1.000 empregos no Amazonas nesta primeira fase do empreendimento e o governador do Amazonas falou sobre os benefícios para o estado, “Isso significa aumento de receita para os municípios de Silves e Itapiranga, que também terão direito a royalties, assim como o Estado também terá direito a esses royalties e também à arrecadação de ICMS”.

Leia também aqui no seu portal CPG ! Operador de produção offshore requisitado pela joint venture Ocyan e Teekay para o pré-sal da Bacia de Santos !

Um passo simples para se trabalhar embarcado mas poucos conhecem...

Um dos mercados mais almejados para profissionais que desejam trabalhar no mar é o offshore, principalmente em navios de cruzeiro, embarcações de apoio e marcantes. As escalas de trabalho são diferenciadas, podendo-se trabalhar apenas 6 meses e folgando mais 6. Assista o vídeo revelador que têm ajudado muitas pessoas no Brasil a ingressar neste mercado aqui.
Posted Under
Sem categoria