Homem que andou da Bahia até Macaé em busca de vaga de emprego offshore, tem uma surpresa no final da sua jornada

vagas de emprego offshore - Macaé - Bahia Marco Araújo comemorando sua chegada

Em vídeo gravado assim que chegou em Macaé, a mãe e o pai de Marco estavam o esperando na entrada da cidade. A próxima etapa agora e conseguir uma vaga de emprego offshore

Marco Antônio Araújo, de 32 anos, que realizou um percurso da sua cidade natal Catu (a 91,6 km de Salvador), na Bahia, até Macaé, no Rio de Janeiro em busca de vagas de emprego offshore, e o mais chocante, totalmente a pé, um percurso que poderia levar mais de um dia, isso se levarmos em consideração que ele tivesse ido de carro. O motivo não poderia ser mais nobre: desempregado, o baiano pretende através desta jornada, chamar a atenção de empresas locais e conquistar assim uma vaga de emprego offshore. No geral, entre as cidades Catu na Bahia e Macaé no RJ, são 1.500 km, ele está fazendo esse trajeto em busca de uma vaga de emprego offshore desde o fim de outubro.

Leia também

O início da história: Em busca de vagas de emprego offshore em Macaé

Tudo começou após Marco Antônio ficar desempregado, no ano de 2015. Segundo ele, Catu era um grande polo industrial petrolífero, que acabou ficando sem opções, em decorrência da crise econômica que assolou o setor na época.

A partir disso o morador de Catu, na Bahia, tramou a sua ideia que já havia pensado durante dois longos anos, na tentativa de chamar a atenção de recrutadores e conseguir uma das muitas vagas de emprego offshore, e assim reestabelecer sua recolocação no mercado de trabalho.

Segundo ele, os cursos básicos na área (Torrista de perfuração), já se encontram expirados, o que iria demandar um investimento de mais ou menos uns R$ 5 mil. Em seu perfil do Instagram, contendo fotos e vídeos, onde ele relata todo o seu trajeto da Bahia até Macaé, conta também sobre as dificuldades que ele enfrentou desde o início, em busca de uma vaga de emprego offshore.

A chegada: da Bahia até Macaé, e seus percalços

Marco Aurélio foi recebido pelos seus pais, na chegada a Macaé. Para ele não tem descrição um momento desses, ele acredita em breve conseguir colher os frutos de toda peleja, e conseguir uma oportunidade de emprego offshore, mas ressalta que o mais valoroso mesmo será a trajetória.

“Vivemos em uma sociedade competitiva, que foca apenas no resultado final. Então, essa é uma forma de passar a mensagem de que o caminho é muito mais gratificante e valoro do que o simples resultado. Esse percurso é na verdade um recado sobre foco, força e fé”, reflete Marco.

“Sem palavras pra um momento como esse, nunca que passou pela minha cabeça uma surpresa dessa, chegar em Macaé meus pais ali aguardando a minha chegada! Não tem com descrever um momento desse sem chorar, pai e mãe vocês são infinitamente gigantes. Amo demais vocês!“ Finaliza Marco Araújo.

Tags:
Valdemar Medeiros
Formado em Segurança do trabalho, especialista em marketing de conteúdo em conjunto de ações de SEO e Universitário de Publicidade e Propaganda.