Empresa de materiais de construção venderá fábrica de cimento e outros ativos à CSN

Roberta Souza
por
-
10-09-2021 15:31:34
em Indústria e Construção Civil
CSN – fábrica – cimento Cimento da CSN/ Fonte: Destaque Notícias

A CSN comprou por US$ 1 bilhão: 5 fábricas de cimento, 4 estações de trituração, 6 centros especializados em grânulos e 19 centros de concreto

Na manhã desta sexta-feira (10/09), a CSN (Companhia Siderúrgica Nacional) anunciou que que comprou 100% da fábrica de cimento Holcim. O negócio avaliado em US$ 1,025 bilhão reposiciona a companhia para cima no ranking de cimenteiras no país. A empresa de materiais de construção assinou um acordo para vender o conjunto que inclui cinco fábricas de cimento, quatro estações de trituração, seis centros especializados em grânulos e 19 centros de concreto, o que alcança um valor empresarial de US$ 1,025 bilhão, informa em comunicado. Leia ainda: Umas das maiores exportadoras de minério de ferro do Brasil, a CSN Mineração está contratando técnico, mecânico, aprendiz e mais, para vagas de emprego em MG, RJ, SP e PR

A compra dos ativos da Holcim

Os acertos de contrato entre a CSN e o Grupo Holcim já foram firmados na manhã de hoje, 10 de setembro. As empresas Votorantim Cimentos e InterCement fizeram propostas por alguns ativos, enquanto a CSN Cimentos e a Mizu miravam a maioria ou totalidade das 10 plantas industriais da Holcim no Brasil.

A aquisição das fábricas de cimento vai aproximar a CSN do topo do ranking de cimenteiras no país. A Holcim é a terceira maior, atrás de Votorantim e InterCement. Com a aquisição, a CSN é quem vai para o top 3. A avaliação de mercado era que os ativos da Holcim valessem em torno de US$ 700 milhões, mas a companhia buscava mais de US$ 1 bilhão pelo pacote completo.

Será a segunda aquisição da CSN Cimentos em menos de quatro meses. No fim de junho, adquiriu a cimenteira Elizabeth por mais de R$ 1 bilhão do fundo Farallon, saltando para uma capacidade total de 6 milhões de toneladas por ano. Na ocasião, os analistas avaliaram que a aquisição saiu a um preço bastante razoável, considerando a média de múltiplos do setor e o montante de capital que seria necessário para agregar a mesma produção de forma orgânica. As 10 unidades industriais da Holcim têm capacidade de produção anual de 10 milhões de toneladas de cimento.

Anteriormente, a CSN comprou uma nova fábrica de cimento do estado da Paraíba

O presidente da CSN, Benjamin Steinbruch, confirmou recentemente que está negociando a compra da Elizabeth Cimento, pertencente ao fundo Farallon, fábrica de cimento no estado da Paraíba. O negócio pode variar de US$ 200 milhões a 250 milhões, segundo informações do jornal Valor Econômico.

Steinbruch, presidente da CSN, disse que manterá o mercado informado sobre eventuais desdobramentos desse assunto. A direção da CSN informou, ainda, que ainda não existe um documento vinculante para a aquisição. Segundo especialistas do mercado, a aquisição da fábrica de cimentos é considerada estratégica para a divisão de cimentos da CSN, que tem planos de abrir capital na B3, a bolsa paulista. A empresa já fez o registro da oferta pública de ações (IPO, em inglês) na CVM, órgão do mercado de capitais.

Atualmente, a CSN produz os cimentos ensacados: CP II-E-32, CP II-F-32 e CP III-40 RS e granel: CP II-E-40 e CP III-40 RS, com uma resistência mínima de 32 MPa e 40 Mpa, todos de acordo com a norma ABNT NBR 16697. Além disso, o CP III da CSN, possui elevada resistência a sulfatos, ou seja, é resistente às águas de esgotos, do mar e alguns tipos de solos com compostos agressivos.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe