Argentina projeta um gasoduto de 1200 km para abastecer Buenos Aires com gás natural de Vaca Muerta

Argentina Natural Gás construção produção Vaca Muerta

Atualmente, à região produtora de Vaca Muerta é a maior produtora de Gás da Argentina e que poderá movimentar milhões na economia do país

Os esforços da Argentina para impulsionar sua produção e fornecimento de gás natural estão progredindo através de um novo gasoduto (1200 kms ou 746 milhas) e projetos de transporte e leilões, movimentos que devem equilibrar a produção e a demanda do país. Os contratos de construção de oleoduto no valor de até US $ 1,8 bilhão para o transporte de gás natural da maior região produtora da Argentina, Vaca Muerta, para Buenos Aires, poderão ser concedidos até setembro.

As duas fases do gasoduto poderiam movimentar até 40 milhões de metros cúbicos de produção por dia, mais da metade da produção de gás atual da Vaca Muerta. O jogo de xisto Vaca Muerta exigirá investimentos futuros de entre US $ 5 bilhões e US $ 10 bilhões por ano, de US $ 4,3 bilhões, agora para acelerar seu crescimento.

A Argentina também planeja leilões mensais para oferecer gás doméstico e lançará em maio um leilão de gás separado de quatro anos para oferecer gás de inverno a preços indexados ao gás natural liquefeito importado (GNL).

A Argentina é um produtor líquido de gás, com a maior parte da produção proveniente da Vaca Muerta, uma das maiores reservas mundiais de óleo e gás de xisto.

A nação agora importa gás natural através de um gasoduto da Bolívia em um contrato recentemente renegociado para estabelecer preços sazonais e fornecimento, e compra gás natural liquefeito (GNL) para cobrir suas necessidades durante o inverno.

A Argentina também aproveitou recentemente o crescimento da produção nacional de gás para retomar as exportações de gás para o Chile e o Brasil e está trabalhando para tornar as exportações rotineiras.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Click Petróleo e Gás.

Paulo Nogueira

Sobre Paulo Nogueira

Formado em Eletrotécnica e entusiasta do setor de tecnologia, com experiência no setor O&G em empresas nacionais e internacionais.