A Petrobras deve ser ou não privatizada?

Petrobras privatização governo

Uma Imagem com a seguinte mensagem: “A Petrobras deve ser privatizada?” está sendo compartilhada nas redes sociais e têm causado opiniões diversas

A mensagem faz alusão ou critica que, enquanto a Petrobras investiu em tecnologia e mobilizou recursos financeiros na casa dos bilhões, petroleiras privadas não quiseram arriscar seus capitais em algo que era meramente especulativo.  Na imagem abaixo vemos a Repsol, Chevron, Total, Shell e a Petrobras.

Após a Petrobras confirmar o potencial de uma nova fronteira de exploração de hidrocarbonetos, o chamado PRÉ-SAL, houve uma mobilização de petroleiras globais para arrematar fatias de produção em bacias hidrográficas brasileiras, principalmente na Bacia de Santos. De fato isto vem ocorrendo através dos últimos Leilões do Petróleo promovidos pela ANP ( Agência Nacional do Petróleo).

Devido a crise financeira desencadeada por escândalos de corrupção desencadeados em 2014, a Petrobras acabou criando um Programa de Desinvestimentos, cujo objetivo era vender ativos onshore/ offshore que não proviam mais retorno financeiro e focar exclusivamente no PRÉ-SAL.

Na corrida presidencial de 2018, o candidato Jair Messias Bolsonaro dentre outras narrativas, colocou a privatização de estatais como uma das principais promessas de governo. Em 2019, já como presidente, ele resolveu voltar atrás na privatização da estatal por entender que a estatal é “estratégica para o governo”, mas Bolsonaro e o Ministro Paulo Guedes, estão tentando privatizar algumas de suas subsidiárias em 2019.

Outras fatores que levaram a Petrobras a este ponto

Com a diminuição de conteúdo local e a moeda brasileira perante ao dólar comercial ( BRL x USD) em uma cotação média acima dos R$ 3,50, as petroleiras têm priorizado encomendas de unidades offshore, como FPSO’s, de estaleiros asiáticos, cujo produtos e serviços, principalmente mão de obra são baratos e pagam os custos de produção mais rapidamente.

Em contra partida, a indústria naval brasileira vem lutando e tentando diversificar suas carteiras de trabalho, já que a maior parte das encomendas eram feitas pela Petrobras e não há previsão de novos pedidos a estaleiros do Brasil para embarcações e unidades de produção de grande porte, pelo menos até o momento.

Descobrimento do Pré-sal  envolveu a Petrobras e empresas estrangeiras

A Petrobras juntamente com outras empresas estrangeiras, descobriram o pré-sal em 2006. Em 2010,  iniciou, de fato, o processo de extração de petróleo no campo Jubarte, localizado na Bacia de Campos.

Criaram-se muitas expectativas depois que a Petrobras confirmou a comercialidade desta nova fronteira exploratória, toda a cadeia da indústria petrolífera se mobilizou. A exploração do pré-sal era cara, mas o custo do barril que ultrapassava fácil os US$ 100 dólares, pagava com folga os custos de produção e pesquisa.

Com os escândalos de corrupção, a estatal foi perdendo valor de mercado e prejuízos demasiados. Após sofrer em  impeachment, a ex-presidente Dilma Rousseff deu lugar a Michel Temer, que por sua vez sinalizou abertura do mercado de exploração a estrangeiras de forma mais abrangente. Com o fim da obrigatoriedade da Petrobras em explorar todos os ativos de petróleo offshore brasileiro, a estatal começou a desbravar novamente seu valor  ( em ações e no mercado financeiro), com leilões e partilhas de produção, evitando a sim sua venda, que até então era eminente na época.

Até o momento não há sinalização do atual governo quanto a qualquer tema relacionado a privatização da Petrobras

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Click Petróleo e Gás.

Paulo Nogueira

Sobre Paulo Nogueira

Formado em Eletrotécnica e entusiasta do setor de tecnologia, com experiência no setor O&G em empresas nacionais e internacionais.