Início Problemas com a Kerui-Método atrasam obras da UPGN no Polo Gaslub e Petrobras avalia adiamento da entrega do Projeto Rota 3

Problemas com a Kerui-Método atrasam obras da UPGN no Polo Gaslub e Petrobras avalia adiamento da entrega do Projeto Rota 3

15 de julho de 2022 às 10:39
Compartilhe
Siga-nos no Google News
A Petrobras está agora avaliando adiar o início do Projeto Rota 3 após os problemas causados pela demissão em massa dos trabalhadores da Kerui-Método nas obras da UPGN no Polo Gaslub, que enfrenta agora, problemas quanto aos prazos previstos.
Foto: A Tribuna/ Roberto Rosa

A Petrobras está agora avaliando adiar o início do Projeto Rota 3 após os problemas causados pela demissão em massa dos trabalhadores da Kerui-Método nas obras da UPGN no Polo Gaslub, que enfrenta agora, problemas quanto aos prazos previstos.

A Petrobras está reavaliando a data de entrega do Projeto Rota 3, uma vez que o consórcio Kerui-Método atrasou as obras da Unidade de Processamento de Gás (UPGN) do Polo Gaslub, em Itaboraí, Rio de Janeiro. Dessa forma, a estatal não poderá seguir com os prazos previstos anteriormente e a demissão em massa de trabalhadores ameaça a entrega do projeto no tempo esperado.

Petrobras reavalia data de entrega do Projeto Rota 3 após atrasos nas obras da UPGN, no Polo Gaslub, em razão dos problemas internos da Kerui-Método

Esta semana não começou nada bem para a Petrobras, que está passando por alguns problemas na realização do seu Projeto Rota 3, que inclui o gasoduto Rota 3 e a UPGN do Polo Gaslub. Isso acontece pois a Kerui-Método, consórcio responsável pelo projeto de construção da unidade de processamento de gás, realizou uma demissão em massa de mais de 2 mil funcionários recentemente. 

Artigos recomendados

Dessa forma, com a falta de trabalhadores para dar continuidade ao projeto, os canteiros de obras estão paralisados e, no momento, estão sendo realizadas apenas atividades de preservação dos equipamentos e das instalações. Assim, o cronograma de entrega da UPGN para dar continuidade à finalização do Projeto Rota 3 falhou e a Petrobras passa agora por um momento de instabilidade, uma vez que precisa avaliar um possível adiamento das datas finais para a entrega das estruturas. 

O Projeto Rota 3 é um grande empreendimento da Petrobras para o mercado de gás natural no Brasil e conta com o gasoduto Rota 3 e a UPGN do Polo Gaslub, além de outras estruturas necessárias para sua operação.

Ele será responsável por grande parte do escoamento do combustível na região, uma vez que contará com uma vazão de aproximadamente 18 milhões de m³ de gás por dia. Enquanto isso, a UPGN terá a capacidade de processar aproximadamente 18 milhões de m³ de gás por dia, se tornando um dos grandes destaques do mercado de combustíveis no Rio de Janeiro. 

Entrega do Projeto Rota 3 estava previsto para segundo semestre de 2022, mas atrasos nas obras da UPGN pela Kerui-Método põe data em risco

Os prazos iniciais da Petrobras para a entrega do Projeto Rota 3 estavam bastante próximos, uma vez que a empresa pretendia entregar as unidades de produção, processamento e transporte de gás natural ainda durante o segundo semestre do ano de 2022. No entanto, os problemas com a Kerui-Método e o projeto de obras da UPGN poderão fazer com que esse prazo final seja alterado pela estatal. 

Assim, a petroleira está analisando uma nova data e, segundo um comunicado oficial da empresa estatal, a “A Petrobrás empenhou todos os esforços para evitar a paralisação e está avaliando ações para minimizar os impactos à conclusão das obras. A nova data estimada para entrada em operação do ativo será divulgada após conclusão das avaliações pertinentes”. Além disso, a empresa respondeu os rumores de problemas com o contrato com a Kerui-Método e disse que está com todos os processos em dia com o consórcio. 

No entanto, existem problemas relacionados ao projeto da UPGN no Polo Gaslub, uma vez que a estatal se envolveu em desentendimentos quanto aos preços das obras, que estavam inicialmente previstos em cerca de R$ 2 bilhões, mas a Kerui-Método acabou aumentando o valor final para mais de R$ 3 bilhões, causando um problema de orçamentos com a Petrobras.

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
YouTube YouTube
Instagram Instagram
Telegram Telegram
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes