Petrobras lança licitação para embarcação de apoio à mergulho raso

Petrobras lança licitação para embarcação de apoio à mergulho raso

fevereiro 1, 2019 Off Por Paulo Nogueira

Gigante brasileira começa a procurar a SDSV para trabalhar no Espírito Santo no contrato inicial de seis meses

A Petrobras lançou uma nova licitação para o afretamento de uma embarcação de apoio a mergulho raso para auxiliar nas operações no estado do Espírito Santo, marcando um recomeço da atividade de contratação de navios de abastecimento após um longo hiato. A Petrobras marcou 8 de fevereiro para receber propostas comerciais para um SDSV de bandeira brasileira que pode suportar operações em até 50 metros de água e está equipado com capacidade de operação remota para trabalhar em profundidades de 3000 metros.

Diferentemente de licitações anteriores, a Petrobras está oferecendo um contrato mais curto para um período de apenas seis meses, renovável para o mesmo período, com operações iniciadas ainda este ano.

“A Petrobras está mudando um pouco a maneira como eles se aproximam do mercado”, disse fontes.

“No passado, eles contratavam navios por dois, três ou quatro anos para fazer todo tipo de trabalho em qualquer lugar que considerassem necessário.

“Agora, a empresa está começando a oferecer contratos de serviço para atender a uma demanda muito específica, de modo que se pode esperar que a frota da Petrobras seja ainda mais simplificada para fins de custo”, acrescentou a fonte.

O SDSV contratado será contratado pela divisão UO-ES da Petrobras e poderá ser utilizado no complexo Parque das Baleias, bem como nos campos de Roncador, Albacora e Albacora Leste, na Bacia de Campos, e no campo de Golfinho, na Bacia do Espírito Santo.

Empresas como a DOF Subsea, a Solstad Offshore, a Bram Offshore, a CBO, a Wilson Sons, a Asso Maritima, a OceanPact, a Belov Engenharia, a Oceanica e a Sistac Sistemas devem participar da licitação para fornecer a SDSV.

O vencedor da licitação terá de fornecer o SDSV, mas pode nomear uma empresa diferente para realizar operações de mergulho raso.

Se um consórcio for formado, as regras de licitação estipulam que no máximo três empresas podem participar de cada aliança.

O contrato de trabalho abrange a inspeção de risers rígidos e flexíveis, cabos umbilicais e elétricos, plataformas de produção e potenciais reparos de tubulações e estruturas submarinas.

Atualmente, a Petrobras possui sete SDSVs de bandeira brasileira em operação.

Os navios Oceanicasub V, Cidade Ouro Preto, Geo Casco 631, Sistac Vitória, Pardela, Mandriao e Siem Piata estão em longo prazo com contratos que expiram de fevereiro de 2019 a novembro de 2021.

Outra fonte sugeriu que a nova licitação visa substituir o navio Sistac Esperança, que foi recentemente liberado pela Petrobras após o término de seu contrato.

O concurso SDSV é a primeira competição para embarcações de apoio offshore a serem lançadas pela Petrobras no Brasil em mais de seis meses.