Petróleo Venezuelano sente impactos Negativos na Produção

Petróleo Venezuelano sente impactos Negativos na Produção

julho 16, 2018 Off Por Efraim Pereira

O petróleo Venezuelano sente impactos negativos na produção e busca alternativas para sair da crise Nacional podendo causar problemas socioeconômicos no Brasil

A receita de exportação do petróleo Venezuelano é o ponto mais forte de sua economia, em torno 95%, à medida que a produção para de crescer e entra em queda, automaticamente toda a economia entra em colapso, causando prejuízos inimagináveis e  colocando o país em estado de alerta. Segundo a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), o país está operando em baixa e não tem previsão de melhoras. O Fundo Monetário Internacional (FMI) afirmou que a economia venezuelana nunca passou por uma crise tão forte que está sendo considerada como uma das maiores da idade moderna. O presidente em exercício  Nicolás Maduro, emitiu um documento autorizando a PDVSA , Estatal petrolífera do país, que aumentasse a produção ao máximo, mas devido o estado de sucateamento da Estatal, ela não tem condições técnicas para explorar as reservas de petróleo locais que são vistas como uma das maiores do mundo.

[adrotate banner=”5″]

 Venezuelanos buscam refujo no Brasil em meio a Crise Humanitária

Os venezuelanos estão buscando refujo no brasil em meio a maior crise humanitária da sua história, os refugiados estão chegando de todas partes com famílias completas alegando que em seu país o salário não dá para comprar um pacote de arroz. Pessoas desesperadas querendo trabalhar para se alimentar e levar para seus filhos o básico que uma pessoa precisa para sobreviver. Em Roraima não cabe mais ninguém, Boa Vista está superlotada e a  cada dia fica insustentável manter a cidade equilibrada. Na capital Goiana, o número ja começa a subir, e tudo isso por conta dos problemas econômicos externos que começam a refletir no Brasil.

[adrotate banner=”6″]

Desemprego no Brasil

Segue pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, “A taxa de desocupação do trimestre encerrado em março de 2018 chegou a 13,1%, com aumento de 1,3 ponto percentual em relação ao último trimestre do ano passado (11,8%). O total de pessoas desocupadas também cresceu no período, passando de 12,3 milhões para 13,7 milhões. Houve um aumento de 11,2% nesse contingente, ou mais 1,4 milhões de desempregados no país”. Sabemos que principalmente o setor de O&G o número de desempregados no Brasil também é muito grande, acreditamos no avanço da economia Nacional e na organização dos ativos, que desta forma evitará em nosso país o que está acontecendo na Venezuela. Segue Abaixo link do site do IBGE detalhando as informações acima.

[adrotate banner=”8″]

[adrotate banner=”9″]

https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/20995-desemprego-volta-a-crescer-no-primeiro-trimestre-de-2018.html