Uma cidade inteira na Espanha gera energia apenas usando laranjas

Valdemar Medeiros
por
-
26-02-2021 09:22:57
em Energia Renovável
Espanha - energia - laranjas Laranjeira na Espanha

Um modelo a se observar: como Sevilha na Espanha está transformando sobras de laranjas em energia

A empresa municipal de água de Sevilha na Espanha, Emasesa, iniciará este novo programa utilizando 35 toneladas de Laranjas em uma instalação que já transforma matéria orgânica em energia. O metano capturado da fermentação das laranjas acionará os geradores das usinas de purificação de água. Se a experiência da laranja for bem-sucedida, a fruta velha pode um dia fornecer energia excedente à rede. Os cientistas relatam que os primeiros testes mostram que 1.000 kg de laranjas podem abastecer cinco casas por um dia. Se todas as laranjas de Seville fossem colhidas, elas poderiam abastecer 73.000 casas.

Leia também

15 mil toneladas de laranjas para gerar energia na Espanha

Aproximadamente 15 mil toneladas de laranja são produzidas nessa região da Espanha, mas os espanhóis não comem laranja e a maior parte das frutas do entorno é exportada para o Reino Unido em geleia. A laranja de Sevilha também é um ingrediente importante no Cointreau e no Grand Marnier.

“Este projeto nos ajudará a alcançar nossos objetivos de redução de emissões, autossuficiência energética e economia circular e gerar uma energia mais limpa.”

Sobre o processo

As laranjas ficam bem em uma árvore, mas quando caem e são esmagadas sob as rodas de um carro, as ruas ficam pegajosas de suco e pretas de moscas. A prefeitura emprega cerca de 200 pessoas na coleta de frutas.

Nativa da Ásia, a laranja amarga foi introduzida pelos árabes há cerca de 1.000 anos e está bem adaptada ao clima do sul da Espanha.

“Esperamos que em breve possamos reciclar todas as laranjas da cidade”, disse Beninho Lopez, chefe do departamento de meio ambiente da Emacesa. Para o conseguir, estima que a cidade terá de investir cerca de 250 mil euros.

“O suco é uma frutose composta por cadeias de carbono muito curtas e o desempenho energético dessas cadeias de carbono durante o processo de fermentação é muito alto”, disse ele. “Não se trata apenas de economizar dinheiro. Laranja é um problema para a cidade e agregamos valor com o lixo ”.

Tags:
Valdemar Medeiros
Formado em Segurança do trabalho, especialista em marketing de conteúdo em conjunto de ações de SEO e Universitário de Publicidade e Propaganda.