Golar Power investe R$ 400 milhões em terminal de GNL e deve criar mais de mil empregos em Santa Catarina

Kelly
por
-
17-09-2020 14:46:43
em Economia, Negócios e Política
Golar Power investe R$ 400 milhões em terminal de GNL e deve criar mais de mil empregos em Santa Catarina FSRU (Floating Storage and Regasification Unit)/Imagem: Divulgação

Referência mundial em GNL, a Golar Power entra com pedido da Licença de Instalação do terminal de gás natural em Santa Catarina e pretende gerar muitos empregos na região

A multinacional Golar Power está implementando o Terminal Gás Sul (TGS) na baía da Babitonga, no município de São Francisco do Sul, em Santa Catarina. O investimento é de R$ 400 milhões e deve gerar 1.275 empregos indiretos. O projeto envolve um navio FSRU (Floating Storage and Regasification Unit), que ficará instalado a 300 metros da costa catarinense.

Veja outras notícias e empregos

O projeto da Golar Power já possui a Licença Ambiental Prévia, emitida pelo Instituto de Meio Ambiente (IMA) em 2019. Atualmente, a multinacional está focando nos trâmites legais e alinhamentos para o pedido da Licença de Instalação do terminal junto ao órgão ambiental.

O governo de Santa Catarina reuniu executivos para os encaminhamentos do projeto de instalação do terminal de gás natural liquefeito (GNL) no estado. Para tal, os próximos passos do processo serão acompanhados por um grupo técnico com representantes dos órgãos envolvidos, bem como especialistas no setor de energia e gás.

A Golar Power tem buscado investir pesadamente no Brasil. Em março deste ano, a empresa e o Governo do Estado do Pernambuco assinaram um protocolo de intenções para novos investimentos privados no Complexo de Suape. A iniciativa é de um terminal de distribuição de gás natural liquefeito, com pespectiva de gerar 300 empregos diretos e indiretos na região.

Sobre o terminal de GNL em Santa Catarina

O projeto em São Francisco do Sul engloba uma unidade flutuante de gás natural liquefeito e um pequeno gasoduto, de cerca de 30 quilômetros, que inclui um trecho submarino de dois quilômetros na Baía da Babitonga. O navio ficará a 300 metros da costa.

O FSRU terá capacidade de fornecer 15 milhões de metros cúbicos do combustível por dia para abastecer indústrias locais, como a de cerâmica, de metal mecânica e de vidro, além de suprir a demanda de termelétricas nas regiões próximas ao empreendimento e gerar empregos no estado.

Tags:
Kelly
Engenheira de Petróleo especialista em Eficiência Energética e pós-graduada em Engenharia Civil; Possui experiência em atividades na indústria petrolífera onshore. Entre em contato para sugestões de pauta, postar vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.