Correspondendo a 2% da geração de energia do Brasil, usinas a carvão deixarão de ser financiadas pelo BNDES; fontes de energias renováveis devem ganhar a prioridade

Fábio Lucas
por
-
31-08-2021 23:28:00
em Energia Renovável
BNDES Crédito financiamentos taxa de juros Rio de Janeiro – Edifício sede do BNDES, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, no Centro do Rio. (Fernando Frazão/Agência Brasil)

Pensando em gerar um impacto cada vez menor no meio ambiente, o BNDES deixará de financiar usinas a carvão

Fontes de energia que dependam do carvão não terão mais um importante parceiro para o desenvolvimento de projetos no país. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, o BNDES, afirmou que deixará de financiar fontes de energia que tenham um grande impacto negativo no meio ambiente.  

O anúncio do BNDES acontece em meio à maior estiagem dos últimos 90 anos. Enquanto as hidrelétricas estão com capacidade de produção de energia reduzias, as usinas térmicas de carvão estão sendo usadas para suprir a necessidade de energia e evitar apagões.  

carvão, energia, bndes
Foto de carvão mineral. Foto: BNDES

Atualmente, o Brasil possui um total de 22 usinas térmicas, mas elas representam somente 2% de toda a energia gerada no Brasil. 

Em contato com a CNN, especialistas do setor destacam que a nova política do BNDES é apenas para usinas futuras. Levando em conta que elas demoram entre 4 e 6 anos para ficarem prontas, os efeitos da nova política só serão vistos a longo prazo. 

BNDES tem dado prioridade para outras fontes de energia que afetam muito menos o meio ambiente. Energia eólica, energia solar e biomassa são apenas alguns dos exemplos de tecnologias mais amigáveis com a natureza

O Brasil vive uma grande crise energética por conta da estiagem. Com poucas chuvas e os reservatórios com baixa quantidade de água, menos energia é gerada, obrigando o governo a usar usinas de carvão para suprir a demanda. Contudo, além de ser mais poluente, este outro método é bem mais caro.

Tags:
Fábio Lucas
Jornalista brasileiro, amo esportes, notícias e política. Já contribui em diversos outros portais relacionados a esportes, economia e informações regionais.
fwefwefwefwefwe