Início Braskem Idesa realiza a venda de 50% de terminal de importação de etano no México

Braskem Idesa realiza a venda de 50% de terminal de importação de etano no México

15 de junho de 2022 às 19:01
Compartilhe
Siga-nos no Google News
braskem, etano, importação
Foto de Alex Silva para Estadão/ Fonte: Seu Dinheiro

A Braskem Idesa firmou acordo com a Advario B.V e pretende assegurar a importação de etano, sua matéria-prima, a partir do terminal

A Braskem anunciou, nesta terça-feira (dia 14), que a Braskem Idesa (BI), sua controlada indireta no México, realizou acordo com a Advario B.V, empresa de armazenamento holandesa, para transferência de 50% de sua participação no capital social da Terminal Química Puerto México (TQPM), subsidiária da BI encarregada do desenvolvimento e da operação do projeto do terminal de importação de etano no México.

A petroquímica informa que a operação ainda está sujeita às aprovações aplicáveis e que, quando aprovada, a Braskem Idesa e a Advario serão responsáveis, cada uma, por 50% do capital social da TQPM. Os valores da transação não foram divulgados.

Artigos recomendados

Segundo comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) pela Braskem, a Advario, companhia líder global no setor de armazenamento sediada na Holanda, apresenta expertise em projetar, construir e operar armazenamento e infraestrutura logística para produtos a granel líquido, como petroquímicos e gases criogênicos, com presença atualmente em todo o mundo.

Terminal operado pela TQPM terá capacidade de 80 mil barris diários de etano

O terminal de importação de etano operado pela TQPM terá capacidade de 80 mil barris diários de etano, de modo a assegurar que a Braskem Idesa tenha condições de efetuar a importação de toda a sua necessidade de matéria-prima.

Além disso, a Advario e a Braskem Idesa devem investir 400 milhões de dólares na instalação do terminal de importação, que será localizado no estado de Veracruz, no México.

A construção deste empreendimento, que tem suma importância para que a competitividade do complexo petroquímico da Braskem Idesa seja garantida, uma vez que, como já citado, assegura o fornecimento de matéria-prima para a empresa, terá início no mês de julho e a expectativa é de que seja concluída no final de 2024. O terminal de importação de etano será associado ao complexo da BI através de um duto de 11 quilômetros.

Empreendimento possibilitará a ampliação da disponibilidade de etano e da competitividade de toda a indústria petroquímica no México

Em comunicado, as empresas declararam que o empreendimento irá fornecer a matéria-prima adicional de que a Braskem Idesa necessita para atuar à plena capacidade, aumentando a disponibilidade de etano e a competitividade de toda a indústria petroquímica e de plástico no México.

O acordo está sendo firmado após um longo período de incertezas em relação ao futuro do complexo petroquímico, frente às dificuldades na oferta de matéria-prima.

A Braskem Idesa deu início às operações do que denomina “o maior complexo petroquímico da América Latica”, voltado à produção de eteno e de polietileno de alta e baixa densidades, no ano de 2016, tendo investido o equivalente a 5,2 bilhões de dólares.

Na época em que o acordo para o complexo foi assinado, a matéria-prima escolhida havia sido o gás natural fornecido pela petrolífera estatal mexicano Pemex, porém a companhia acabou tendo conflitos com a joint-venture devido ao contrato de fornecimento do gás, o que foi resolvido em setembro do ano passado.

Sobre a Braskem Idesa

A Braskem Idesa corresponde a uma associação criada em 2010, sendo constituída pela Braskem, uma empresa petroquímica brasileira líder na América, que possui 75% de participação no acordo, e pelo Grupo Idesa, uma das principais companhias de negócios do México, com 25% de participação.

A agregação liderou o desenvolvimento e a implementação de um complexo petroquímico no México, destinado à produção de polietileno e situado na cidade de Coatzacoalcos, no estado de Veracruz.

Relacionados
Mais recentes