Preço do etanol reage nas usinas e nas distribuidoras após tombos consecutivos

Flavia Marinho
por
-
31-03-2021 12:31:40
em Usina e Agronegócio
etanol - preço - usina Usina de etanol / Fonte: Reprodução – Via Google

Com a semana toda do etanol hidratado em queda livre nas bases distribuidoras, o biocombustível fechou com preço positivo nas usinas

Ontem, (30/03) foi um dia importante para se saber se o etanol hidratado saiu do fundo do poço. Após os tombos seguidos, o preço do etanol reagiu nas usinas e nas distribuidora. Preço do etanol evapora nas usinas e distribuidoras fazem queima de estoques, no último dia 20.

Leia também

Em Ribeirão Preto, a Safras & Mercado viu o litro do biocombustível sendo negociado em torno dos R$ 2,80, com imposto e sem frete, R$ 0,07 acima da sexta-feira. Até a última segunda, na média da semana, o preço do etanol abaixou nas usinas 15,84% (R$ 2,3071, livres), segundo o Cepea.

Nas distribuidoras em Paulínia (SP), houve alta de 1,65% e o litro, a R$ R$ 2,3405, diminuindo a retração acumulada no mês para 18,86%.

O movimento de liquidação dos estoques estava bastante evidente e pode ter cessado, com as distribuidoras voltando às compras mesmo com a baixa circulação da população diante das restrições estaduais e municipais de enfrentamento à pandemia.

Competitividade do preço do etanol hidratado ainda não está boa

Mesmo os preços da gasolina recuando nas bombas também na semana passada, de acordo com a ANP, Maurício Muruci, da Safras, acredita que a competitividade do etanol hidratado ainda não está boa.

A defasagem da gasolina para o petróleo alcançou hoje R$ 0,21 por litro, informa o levantamento da Abicom, que reúne os importadores de combustíveis.

O movimento constante de queda dos preços das distribuidoras chegou também aos postos.

Além do cenário de influência do petróleo, que interrompeu as altas com o desencalhe do navio no Canal de Suez, também a safra do Centro-Sul já está ofertando mais etanol, embora oficialmente o ciclo comece dia 1º de abril.

Raízen do Grupo Shell, quer construir três usinas produtoras de etanol feito com bagaço e palha de cana

Raízen a gigante global produtora de etanol em conjunto com a Shell, pretende construir mais três usinas de etanol celulósico — ou de segunda geração. A boa notícia foi anunciada pelo empresário Rubens Ometto, da Cosan, na última segunda (15/03) 

A tecnologia para a produção de etanol celulósico surgiu a partir de uma parceria entre a Shell e a canadense logen, especializada em biotecnologia. Na safra passada (2019/20), a unidade de Piracicaba produziu 226 litros de etanol para cada tonelada de biomassa seca.em Paulínia

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.