Preço da gasolina, etanol, diesel e GNV não param de subir e o mais novo combustível GNC veio para ´salvar` motoristas de aplicativo, taxistas e trabalhadores

Flavia Marinho
por
-
03-06-2021 09:58:23
em Petróleo, Óleo e Gás
gasolina - preço - etanol - diesel - gnv - gnc - biogás - combustível - consumidor - motorista - taxista Fila de carros para abastecer em posto de combustível / Fonte: Reprodução – Google

Disparada no preço da gasolina, etanol, diesel e GNV faz motoristas recorrerem ao combustível GNC; o biogás veio para ´salvar` e aliviar o bolso do consumidor

A cada dia que passa, aumenta o preço da gasolina, etanol e diesel,e, com isso, os brasileiros que trabalham com transporte de passageiros, como taxistas e motoristas de aplicativos, que recorriam ao Gás Natural Veicular (GNV), estão migrando para o combustível GNC, uma vez que o GNV também está começando a pesar no bolso. O biogás (GNC) pode ser usado sem problemas nos veículos que têm kit-gás.

Leia também

Petrobras fez um novo reajuste no preço do GNV, aumentando 39% para as distribuidoras. Segundo o levantamento feito pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), na última semana de maio, o preço do gás veicular ao consumidor final, já chegava a R$ 4,199 em alguns pontos da cidade do Rio de Janeiro. Diante disso, apesar de não se uma solução nova, o biogás tem se popularizado por render mais e ser mais barato.

O motorista de aplicativo Glauber dos Santos, de 32 anos, disse em entrevista ao jornal Extra, que começou a abastecer com biogás por indicação de colegas de profissão. Segundo ele, que tem um carro 1.0, com cilindro de oito metros cúbicos instalado, enquanto consegue percorrer 120 quilômetros com o “tanque cheio” de GNV, faz 150 quilômetros com biogás.

— Nesses 30 quilômetros de diferença, eu consigo fazer de R$ 30 a R$ 50 em corridas. Além disso, o preço do biogás é mais em conta. Tenho abastecido por R$ 3,99 o metro cúbico, enquanto pagaria R$ 4,15 pelo GNV. São centavos que ao final do mês fazem muita diferença — compara o motorista.

GNC (biogás) tem características similares ao GNV (gás metano), porém é mais eficiente e seguro, com menos risco de explosão e incêndio

De acordo com Jorge Mathuiy, diretor comercial da indústria de cilindros MAT, o GNV (gás metano) pode ser retirado de fontes associadas ao petróleo, por exemplo, o biogás tem características similares, mas é extraído de matérias orgânicas — aterros sanitários, compostagens e bagaços de cana de açúcar, entre outros. Por isso, é conhecido também como gás verde.

Atualmente, apenas dez postos de combustível no Rio de Janeiro oferecem o GNC, mas, de acordo com Mathuiy, até o fim do ano, esse número deve aumentar bastante, já que o biometano tem um custo de aquisição mais barato e é completamente seguro.

A grande vantagem do uso do GNC é que, além da maior autonomia, o combustível oferece maior segurança por ser mais leve do que o ar, em caso de vazamento, o gás se dissipa rapidamente, o que reduz o risco de explosões e incêndios. Enquanto o álcool se inflama a 200ºC, e a gasolina a 300ºC, para que o biogás se inflame, é preciso que seja submetido a uma temperatura superior a 620ºC.

Os motoristas ainda encontram dificuldade para identificar, nos postos, o GNC. A dica é perguntar ao frentista se a opção está disponível ou observar na bomba se fornecedor é uma das empresas que distribuem o combustível, por exemplo, a Neogás.

Venda do etanol hidratado entre distribuidoras foi definitivamente proibida pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis

Na última quinta-feita, 27 de maio, a diretoria da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), aprovou uma resolução que proíbe a venda de etanol hidratado (etanol combustível) entre duas distribuidoras autorizadas.

A proibição da venda do etanol entre distribuidoras, adotada pela ANP, promete impedir a prática de sonegação e inadimplência no pagamento de ICMS pelas empresas.

Preço da gasolina, álcool e diesel não param de subir, e deputados se negam a mudar ICMS em meio à disparada nos preços do combustíveis 

Petrobras é ´atacada` pela disparada nos preços dos combustíveis por deputados que se negam a mudar ICMS, em meio à crise causada por aumentos consecutivos nos preços da gasolina, etanol e diesel.

Os brasileiros vem sofrendo, diariamente, com o aumento nos preços dos combustíveis, haja vista que os preços do etanol, da gasolina e do diesel não param de subir nas bombas. Como medida para tentar frear as disparadas, o Governo propôs mudanças na tributação do ICMS de combustíveis. A nova proposta não foi vista com bons olhos por alguns deputados, que chegaram acusar a petroleira brasileira Petrobras de ser responsável por tudo isso.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.