Por US$ 102 milhões, Petrobras fecha contrato para arredamento do terminal de GNL na Bahia

Roberta Souza
por
-
30-09-2021 15:29:52
em Economia, Negócios e Política
Petrobras – Bahia – GNL Terminal de Regaseificação de GNL/ Fonte: Bahia de Valor

A Petrobras explica que o contrato de arrendamento do terminal de GNL, no estado da Bahia, tem vigência até dezembro de 2023

Na última terça-feira (28/09), a Petrobras assinou com a Excelerate o contrato de arredamento do terminal de Regaseificação de GNL da Bahia (TR-BA) e instalações associadas, no total de aproximadamente R$ 102 milhões. A Petrobras explica que o contrato de arrendamento do terminal de GNL, no estado da Bahia, tem vigência até dezembro de 2023, “além dos demais contratos acessórios associados ao processo.” Leia também esta notícia: Por R$ 95 milhões, Petrobras realiza a venda de 3 usinas termelétricas em Camaçari, na Bahia

O arrendamento do terminal de GNL na Bahia

Com a conclusão da negociação, a Excelerate está buscando, com o apoio da Petrobras, a transferência das licenças e autorizações necessárias para a operação de um novo navio regaseificador no terminal localizado no estado da Bahia, segundo a Petrobras. “Tão logo a nova empresa esteja apta a operar, a Petrobras deslocará o seu navio regaseificador que se encontra no TR-BA para o Terminal de Regaseificação de GNL de Pecém, no Ceará”, diz a estatal.

Anteriormente, para ajudar o Brasil a lidar com a crise hidrelétrica, a Petrobras deslocou seu navio regaseificador do terminal de Pecém para o terminal da Bahia, em um movimento que permitiu maior oferta de termoeletricidade.

A concessão do terminal na Bahia atende a um acordo firmado entre Petrobras e órgão antitruste Cade, uma vez que a companhia se comprometeu em colaborar com abertura do mercado de gás no país. Localizado na Baía de Todos os Santos, o terminal de GNL da Petrobras na Bahia tem capacidade de regaseificação máxima de 20 milhões de metros cúbicos por dia.

Confira também esta notícia: Petrobras inicia fase de venda da Deten Química, localizada no Polo Industrial de Camaçari, na Bahia

A Petrobras informa que concluiu a fase não vinculante referente à venda da totalidade de sua participação acionária de 27,88% na Deten Química, localizada no polo industrial de Camaçari, no estado da Bahia. A companhia está iniciando hoje a fase vinculante do projeto.

A estatal já concluiu a fase não vinculante iniciada em julho. Segundo a Petrobras, os potenciais compradores da empresa localizada no Polo de Camaçari, no estado da Bahia, habilitados para essa fase receberão carta-convite com instruções sobre o processo de desinvestimento, incluindo orientações para a realização de due diligence e para o envio das propostas vinculantes.

A Deten fabrica e comercializa as principais matérias-primas para a produção de detergentes biodegradáveis líquidos e em pó. De acordo com a Petrobras, a empresa localizada no Polo de Camaçari, no estado da Bahia, é a única produtora nacional do Linear Alquilbenzeno (LAB), precursor do Ácido Linear Alquilbenzeno Sulfonato (LABSA), do qual também é fabricante e que atua como componente ativo do detergente doméstico de lavar louças. A companhia produz ainda o Alquilado Pesado (ALP), utilizado em aditivos lubrificantes e óleo têxtil.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe