O maior navio porta-contêineres do mundo movido a GNL chega ao Reino Unido e bate recorde mundial com 20.723 contêineres abordo

Valdemar Medeiros
por
-
06-11-2020 12:50:18
em Indústria Naval, Portos e Estaleiros
Navio - GNL - Reino Unido Navio movido a GNL

O maior navio de contêineres do mundo movido a gás natural liquefeito (GNL), o CMA CGM Jacques Saade  continua sua viagem inaugural com recorde fazendo sua primeira escala no Reino Unido

O maior navio de contêineres do mundo movido a gás natural liquefeito (GNL), o CMA CGM Jacques Saade  continua sua viagem inaugural com recorde fazendo sua primeira escala no Reino Unido em Southampton e no norte da Europa. Com capacidade para 23.000 TEUs, o boxship megamax está concluindo sua primeira passagem da Ásia para a Europa, operando como parte de um serviço semanal que consiste em 13 ligações em 84 dias.

Leia também

Novo recorde mundial com o navio movido a GNL

Novo carro-chefe movido a GNL do Grupo CMA CGM, ela estabeleceu um novo recorde mundial ao deixar Cingapura com uma carga de 20.723 contêineres cheios. O último carregamento de recorde mundial foi estabelecido em maio, quando o HMM Algeciras partiu de Yantian com 19.621 TEU de carga a bordo. O Algeciras detém o título atual de maior navio de contêineres do mundo, superando o CMA CGM Jacques Saade e o MSC Gulsun com uma capacidade nominal de quase 24.000 TEU.

O navio é fruto de mais de sete anos de pesquisa e planejamento, o CMA CGM Jacques Saade é o primeiro de uma nova classe de boxships para a CMA CGM e está na vanguarda do esforço para construir contêineres maiores e mais eficientes. Ela mede 1.312 pés de comprimento e tem uma boca total de 200 pés. Sua altura é de 256 pés.

Tecnologia de última geração

A nova classe do navio CMA CGM apresenta tecnologias de última geração, como previsão de caminho, tecnologias de projeção ocular inteligente e telas de realidade aumentada para auxiliar o capitão e a tripulação a navegar e atracar o gigante.

Para melhorar seu desempenho, o projeto incorpora um casco de formato reto com um bulbo integrado, hélices redesenhadas e lâminas de leme, que contribuem para melhorar o desempenho ao otimizar o fluxo de água e reduzir significativamente o consumo de energia.

O tanque de GNL também exigiu uma engenharia significativa. O estaleiro relata que demorou nove meses para construir e instalar o tanque de GNL no navio. Tem uma capacidade de 18.600 metros cúbicos, dando ao navio a capacidade de realizar viagens de ida e volta entre a Ásia e a Europa entre as recargas do tanque. Cada um dos navios operará com uma tripulação de 25 mais um oficial de gás.

De acordo com a CMA CGM, o diretor de gás será o responsável por supervisionar o processo de gaseificação e pressurização do gás. Armazenado no estado líquido, o gás natural é convertido ao estado gasoso para alimentar os motores do navio. Este processo deve ser ajustado em função da velocidade da embarcação e do consumo de energia elétrica a bordo.  

Tags:
Valdemar Medeiros
Formado em Segurança do trabalho, especialista em marketing de conteúdo em conjunto de ações de SEO e Universitário de Publicidade e Propaganda.