Início Energia solar: Pesquisadores desenvolvem pirâmide de vidro que pode tornar os painéis solares muito mais eficientes 

Energia solar: Pesquisadores desenvolvem pirâmide de vidro que pode tornar os painéis solares muito mais eficientes 

4 de julho de 2022 às 10:42
Compartilhe
Siga-nos no Google News
energia limpa energia renovável eletricidade meio ambiente
Axially Graded Index Lens or AGILE: Foto Stanford University

Pesquisadores desenvolvem equipamento capaz de tornar a produção de energia limpa muito mais barata

Ficou claro que o investimento em energia limpa é a melhor solução para salvar o planeta de uma catástrofe climática. Hoje, o uso de energia solar é uma das formas mais baratas de se produzir energia renovável. Ainda existem muitos pontos a serem melhorados para a sua aplicação em larga escala.

Em comunicado à imprensa, pesquisadores da Universidade de Stanford anunciaram o desenvolvimento de um concentrador óptico que pode tornar os painéis solares muito mais eficientes. A ideia do projeto é focar a luz do sol em um único ponto durante todo o dia, não importando a posição do sol. 

Artigos recomendados

As células fotovoltaicas funcionam melhor quando a luz solar incide diretamente sobre elas. Como uma forma de aumentar a eficiência das placas solares durante o dia, os cientistas já desenvolveram equipamentos que ‘seguem’ o sol, aumentando a exposição direta da luz solar sobre as placas fotovoltaicas. Por outro lado, instalar equipamentos desse tipo aumenta consideravelmente o custo de implementação de uma usina de energia solar. 

A ideia dos pesquisadores da universidade foi desenvolver um equipamento que pudesse concentrar toda a luz solar em um único ponto, não importando a posição do sol naquele momento e sem usar nenhuma energia externa. 

Como funciona o equipamento desenvolvido pela Universidade 

O dispositivo se chama Axially Graded Index Lens (AGILE), desenvolvido pela pesquisadora Nina Vaidya, de Stanford. “É um sistema completamente passivo – não precisa de energia para rastrear a fonte ou ter partes móveis. Ele não possui foco óptico que move posições ou a necessidade de sistemas de rastreamento, a concentração de luz se torna muito mais simples,” destacou a pesquisadora. 

Os pesquisadores destacaram ainda que a AGILE consegue capturar 90% da luz que incide sobre ela. Por conta das mudanças atmosféricas, a lente funciona com um amplo aspecto de luz, variando entre ultravioleta e infravermelho. 

Transformando teoria em realidade 

Os responsáveis pelo projeto pesquisaram os mais diversos tipos de materiais para criar o equipamento capaz de aumentar a eficiência dos painéis solares. Outra opção foi usar uma mistura de materiais, porém, sob o calor, eles rachavam com mais facilidade. A versão com um melhor desempenho foi construída com polímeros de vidro e outros materiais

“O objetivo da otimização da altura é projetar um dispositivo curto para economizar material e peso, mantendo a eficiência. O dispositivo AGILE é escalável no domínio do raio (ou seja, desde que a geometria do concentrador seja várias vezes maior que o comprimento de onda da luz),” destaca um dos pesquisadores do projeto. 

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
YouTube YouTube
Instagram Instagram
Telegram Telegram
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes