1. Início
  2. / Energia Nuclear
  3. / Arsenal nuclear da China está crescendo a uma velocidade surpreendente, colocando em xeque a liderança nuclear dos Estados Unidos, conforme revela a mais recente avaliação do Pentágono
Tempo de leitura 3 min de leitura Comentários 0 comentários

Arsenal nuclear da China está crescendo a uma velocidade surpreendente, colocando em xeque a liderança nuclear dos Estados Unidos, conforme revela a mais recente avaliação do Pentágono

Escrito por Rafaela Fabris
Publicado em 30/04/2024 às 18:55
Arsenal nuclear da China está crescendo a uma velocidade surpreendente, colocando em xeque a liderança nuclear dos Estados Unidos, conforme revela a mais recente avaliação do Pentágono
Foto: Canva/Representação

O Pentágono revela que o arsenal nuclear da China está crescendo mais rapidamente do que o previsto, com estimativas indicando que o país poderá possuir mais de 1000 ogivas nucleares até 2030. Este rápido desenvolvimento coloca em xeque a liderança nuclear dos Estados Unidos, que planeja investir 750 bilhões de dólares na modernização de seu próprio arsenal, enquanto a China também avança em tecnologias hipersônicas e aumenta a pressão militar sobre Taiwan.

O Pentágono, em sua última avaliação pública, alertou que o arsenal nuclear da China está se expandindo muito mais rapidamente do que as previsões anteriores indicavam. Este crescimento acelerado posiciona a China para ultrapassar as capacidades nucleares previstas para os próximos anos, potencialmente igualando ou superando o arsenal dos Estados Unidos.

Atualmente, estima-se que a China possua mais de 500 ogivas nucleares operacionais. Projeções indicam que este número poderá dobrar, alcançando mais de 1000 ogivas até 2030. Comparativamente, no relatório do ano anterior, a estimativa era de que a China teria 400 ogivas, com a expectativa de expandir para 1500 até 2035.

Alto funcionário de defesa dos Estados Unidos, que preferiu manter o anonimato, compartilhou insights sobre a expansão nuclear chinesa

Um alto funcionário de defesa dos Estados Unidos, que preferiu manter o anonimato, compartilhou insights sobre a expansão nuclear chinesa, destacando o investimento significativo em plataformas de lançamento nuclear terrestres, marítimas e aéreas. Esta expansão também inclui o desenvolvimento de infraestrutura crucial para suportar um arsenal nuclear consideravelmente ampliado.

Enquanto isso, os Estados Unidos enfrentam o desafio de modernizar um arsenal nuclear envelhecido, onde algumas ogivas têm até 50 anos de uso. Para enfrentar esta realidade e a crescente ameaça chinesa, o Pentágono planeja investir cerca de 750 bilhões de dólares na próxima década para atualizar e substituir quase todos os componentes de seu arsenal nuclear.

Relatório também destaca o desenvolvimento de armas hipersônicas pela China, que poderiam substituir os mísseis balísticos de curto alcance mais antigos

O relatório também destaca o desenvolvimento de armas hipersônicas pela China, que poderiam substituir os mísseis balísticos de curto alcance mais antigos. Estas novas armas, capazes de viajar a velocidades superiores a Mach 5 e com alta capacidade de manobra, representam uma ameaça significativa às bases militares e frotas dos EUA no Pacífico Ocidental.

Além do aumento do arsenal nuclear, a China está intensificando a pressão militar sobre Taiwan. As agências militares e de inteligência dos EUA têm alertado que a China está preparando suas forças para uma possível ação militar contra Taiwan tão cedo quanto 2025.

Esta escalada no poderio militar chinês não só desafia a estabilidade regional, mas também impõe uma ameaça direta às posições estratégicas dos Estados Unidos, forçando uma revisão nas políticas de defesa e estratégia militar global.

Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos comentários
Rafaela Fabris

Fala sobre inovação, energia renováveis, petróleo e gás. Atualiza diariamente sobre oportunidades no mercado de trabalho brasileiro.

Compartilhar em aplicativos
0
Adoraríamos sua opnião sobre esse assunto, comente!x