Início De acordo com Anatel, bilionário Elon Musk tem interesse em oferecer internet em voos no Brasil

De acordo com Anatel, bilionário Elon Musk tem interesse em oferecer internet em voos no Brasil

31 de maio de 2022 às 20:22
Compartilhe
Siga-nos no Google News
elon musk, internet, anatel
Imagem de James Duncan Davidson

Visita de Elon Musk ao Brasil resultou em um interesse do bilionário de investir em internet nos voos brasileiros, segundo Anatel

Depois da visita do bilionário Elon Musk, proprietário das empresas Tesla e SpaceX, ao Brasil, que acarretou na validação de um plano com o governo federal para o monitoramento ambiental da Amazônia, Carlos Manuel Baigorri, presidente da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), relatou que Elon Musk também tem interesse em proporcionar internet em voos comerciais no país.

Além de prometer a provisão de conexão de internet em aproximadamente 19 mil escolas em áreas rurais, Elon Musk e executivos da Starlink também demonstraram interesse aos conselheiros da Anatel em fornecer internet aos tripulantes da categoria comercial de viagens aéreas no Brasil.

Artigos recomendados

“Ele mostrou-se muito interessado nesse setor de internet no mercado de aviação e indagou sobre a necessidade de outorga para ofertar internet nos aviões comerciais”, relatou Baigorri.

De acordo com o presidente da Anatel, o diálogo com Elon Musk foi focado no fornecimento de explicações para entender como se dariam os trâmites em relação a autorização de Serviço Limitado Privado (SLP), que segundo Baigorri é um procedimento é “bem simples” e poderia estar pronto em até 10 dias úteis.

Starlink fecha acordo com Hawaiian Airlines

No mês de Abril, a Starlink firmou um acordo com a empresa de voo Hawaiian Airlines. Esse acordo visa a disponibilização do serviço de internet gratuito em voos nacionais no território americano e em voos internacionais para a Oceania e a Ásia.

Elon Musk, que é dono de uma fortuna avaliada pela revista Forbes em US$ 230 bilhões (aproximadamente R$ 1 trilhão), esteve nesta sexta-feira, 20, com o chefe de estado Jair Bolsonaro (PL) no interior de São Paulo.

O evento onde Elon Musk e Bolsonaro estavam presentes, reuniu diversos empresários e integrantes do primeiro escalão do governo federal. Na reunião, o presidente comentou que os críticos de seu governo “difundiriam mentiras” em nível mundial sobre a situação socioambiental da Amazônia. No entanto, o presidente não soube apontar quais mentiras seriam essas.

“Nós pretendemos, necessitamos e contamos com Elon Musk para que a Amazônia seja vista por todos no Brasil e no mundo, a exuberância da região e como ela é preservada”, disse Bolsonaro a Elon Musk ao longo do evento que foi sediado em um hotel em Porto Feliz.

O presidente também comentou que Elon Musk poderia “estar preocupado com ele próprio”, mas que quis, em um ato de solidariedade, viajar o mundo em defesa do que o presidente brasileiro julga ser a “liberdade”.

Conchavo estabelecido entre governo e a empresa de Elon Musk ainda é informal

Elon Musk, que veio ao Brasil no dia 20/05/2022 e encontrou com autoridades, anunciou a provisão de serviço de internet gratuito, segundo Anatel, de aproximadamente 19.000 escolas e monitoramento da Amazônia, porém não fechou um acordo formal com o Brasil.

Em relação à conexão de internet, Musk prometeu fornecer toda a infraestrutura necessária, através da empresa Starlink, juntamente com a Anatel.

No dia 25/05, cerca de 4 comissões da Câmara dos Deputados chamaram o ministro Fábio Faria para esclarecer informações sobre o encontro com Elon Musk e uma possível parceria entre o governo brasileiro e a Starlink.

O encontro conjunto está marcado para acontecer no dia 8 de junho.

“O que foi feito é que não existe nenhum acordo entre o governo brasileiro e as empresas de Elon Musk. O que existe é um tipo de promessa ou então uma peça de propaganda. Isso é que nós queremos esclarecer na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle”, comentou o deputado Ivan Valente, responsável pelo requerimento aprovado pela comissão.

O deputado também relatou que a assessoria técnica está analisando se existe competição no mercado, pois para participar dos programas de conectividade de internet na educação e prestar serviços de monitoramento, a Starlink precisa vencer licitação do poder público e ser aprovada também pela Anatel.

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
YouTube YouTube
Instagram Instagram
Telegram Telegram
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes