Começa processo de substituição de térmicas a óleo por gás natural

Gás natural é o futuro

Substituição pelo gás natural e pelo carvão é a tônica em processo iniciado pelo governo e lançamento da consulta pública, aconteceu nesta sexta-feira (30/08)

Conforme o Click Petróleo e Gás já havia anunciado, Governo quer, já a partir de 2020, começar a substituir térmicas a óleo por gás do pré-sal.
Sendo assim o governo lançou, através do MME, uma consulta pública já visando o leilão A-4 que deverá acontecer em 31 de março de 2020.
Segundo o documento as usinas, que poderão ser a gás natural ou carvão e serem novas ou existentes, deverão estar aptas a operar até 31 de dezembro de 2023.

As novas usinas contratadas substituirão as usinas á óleo existentes e com contratos vencendo em 2023 e o comunicado do MME diz o seguinte: “Esse leilão tem como objetivo recompor os contratos das distribuidoras provenientes dos leilões de energia nova realizados em 2005, 2006 e 2007, bem como contratos remanescentes do programa prioritário de termeletricidade (PPT)”.

As usinas térmicas a óleo tem alto custo de operação e são consideradas inviáveis financeiramente segundo levantamento feito pelo governo.
O governo quer substituí-las gradativamente por outras (novas ou existentes) de menor custo, menos poluentes e será o primeiro leilão do tipo que o MME promoverá.

Carvão é novidade

Poderão participar da licitação também usinas abastecidas por carvão e os contratos para os vencedores terão a duração de 15 anos. A consulta pública vai até o dia 11 de setembro, segundo o MME.

Outro processo licitatório que está sendo aguardado com ansiedade pelo mercado de energia é o leilão de energia nova A-6, pois deve ter a participação da Petrobras, este porem passou para o dia 18 de outubro e deverá ser um sinalizador do preço futuro de gás, já sob os reflexos da liberalização do mercado depois do lançamento do Novo Mercado do Gás pelo governo federal.

Leia também ! Petrobras encomenda de empresa em Belo Horizonte 34 torpedos de ancoragem para o FPSO Mero 1 !

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Click Petróleo e Gás.

Renato Oliveira

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki)