Início Cientistas criam gel de baixo custo capaz de capturar água da umidade do ar e produzir até 13 litros por dia

Cientistas criam gel de baixo custo capaz de capturar água da umidade do ar e produzir até 13 litros por dia

6 de junho de 2022 às 13:17
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Cientistas - gel - umidade do ar - água potável -
Filme feito de gel de baixo custo pode capturar água da umidade do ar (Foto: Reprodução / Universidade do Texas )

Cientistas do Texas desenvolveram um produto simples capaz de gerar água potável por meio da umidade do ar. Além de ser eficiente e produzir até 13 litros diários, o material custa apenas US$ 2 por quilo.

A estimativa é que mais de um terço da população mundial viva em ambientes áridos, com um acesso bem restrito à água potável. Pensando nisso, cientistas e engenheiros da Universidade do Texas, em Austin, criaram uma tecnologia simples, mas poderosa, que tem como objetivo ajudar pessoas que enfrentam este tipo de problema. O produto é uma espécie de filme feito em gel de baixo custo, capaz de produzir até seis litros de água potável por dia em regiões com menos de 15% de umidade do ar e até 13 litros em áreas com 30% de umidade relativa. O que torna o projeto dos cientistas tão importante é o preço do material, que custa cerca de US$ 2 por quilo. 

Gel dos cientistas é produzido com celulose renovável

A equipe de cientistas já havia trabalhado em outras inovações de água potável como esta, entretanto demandavam uma umidade do ar um tanto mais alta, desse modo, este é o primeiro material capaz de captar água com menos de 30%. De acordo com o professor do departamento de Engenharia Mecânica da Escola de Engenharia Cockrell, Guihua Yu, o gel pode permitir que milhões de pessoas possuam dispositivos simples para a produção de água em casa, que pode ser de fácil manuseio.

Artigos recomendados

O filme de gel é composto por uma goma konjac e uma celulose renovável comum. A estrutura da goma, com poros abertos, impulsiona ainda mais a captura da umidade do ar.

O outro componente se trata de uma celulose termorresponsiva com interação hidrofóbica, ou seja, resistente a água quando aquecida, ajudando a liberar a água coletada imediatamente. Segundo a equipe de cientistas, isso faz com que o consumo de energia elétrica seja reduzido durante a produção de água. 

Equipamento dos cientistas é fácil e simples de ser colocado em pratica

O filme capaz de gerar água potável é flexível e pode ser moldado em vários formatos e tamanhos, variando de acordo com as demandas do usuário.

Para utilizar, é necessário apenas o precursor de gel, que conta com todos os ingredientes. De acordo com a principal autora do artigo científico e ex-aluna de doutorado no laboratório de Guihua Yu, Youhong “Nancy”, a ideia era fazer algo simples, que pudesse ser reproduzido por qualquer pessoa, na própria cozinha de casa. Não é necessário um diploma para utilizar o equipamento, de acordo com a autora.

Cientistas da Moonshot Factory desenvolvem dispositivo que pode gerar água potável a partir de energia solar

Com o objetivo de reduzir a escassez de água, cientistas da Moonshot Factory da Alphabet desenvolveram um equipamento que utiliza energia solar para capturar água da umidade do ar, podendo fornecer água potável para um bilhão de pessoas ao redor do mundo com energia renovável.

Os desenvolvedores afirmam que uma área de coleta de energia solar que mede 1 m² é suficiente para gerar até 5 L de água potável diários. Entretanto, esse nível de desempenho só é possível em algumas condições, além de luz solar e temperaturas suficientes, com umidade do ar de pelo menos 30%.

Isto faz com que o dispositivo, apesar de ser altamente útil em climas tropicais, é improvável que possa suprir as demandas daqueles que vivem em ambientes áridos. Segundo os cientistas, grande parte das pessoas que enfrentam problemas de escassez de água potável vivem na África Subsaariana ou na Índia, onde as condições são propícias para o uso.

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
YouTube YouTube
Instagram Instagram
Telegram Telegram
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes